Ansiedade Generalizada

Nós a chamamos de TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizado). Segundo o manual de classificação de doenças mentais (DSM. IV), é um transtorno caracterizado pela “preocupação excessiva ou expectativa apreensiva”, persistente e de difícil controle, que perdura por seis meses no mínimo e vem acompanhado por três ou mais dos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono. Nestes casos, o nível de ansiedade é desproporcional aos acontecimentos geradores do transtorno, causa muito sofrimento e interfere na qualidade de vida e no desempenho familiar, social e profissional dos indivíduos. O transtorno da ansiedade generalizada pode acometer pessoas de todas as idades, desde o nascimento até a velhice. Em geral, as mulheres são mais afetadas do que os homens.

Além dos já citados (inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular) existem outras queixas que podem estar associadas ao transtorno da ansiedade generalizada como palpitações, falta de ar, taquicardia, aumento da pressão arterial, sudorese excessiva, dor de cabeça, alteração nos hábitos intestinais, náuseas, aperto no peito, dores musculares. Os sintomas podem variar de uma pessoa para outra.

Como os sintomas podem ser comuns a diferentes quadros clínicos; é fundamental estabelecer o diagnóstico diferencial de síndrome do pânico ou fobia social, por exemplo. O diagnóstico do TAG leva em conta a história de vida do paciente, a avaliação clínica criteriosa e, quando necessário, a realização de alguns exames complementares.

O tratamento do TAG inclui o uso de medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos, feito com prescrição e supervisão médica, e a terapia comportamental cognitiva. O tratamento farmacológico geralmente precisa ser mantido por seis a doze meses depois do desaparecimento dos sintomas e deve ser descontinuado em doses decrescentes. Não se deve interromper a medicação antes da liberação do médico, pois há grande risco de retorno dos sintomas, que muitas vezes voltam piores.

A principal característica do Transtorno de Ansiedade Generalizada é a preocupação excessiva. Você preocupa-se excessivamente com coisas que são improváveis ​​de acontecer, ou sente-se tenso e ansioso durante todo o dia sem motivo real? Todos nós ficamos ansiosos, às vezes, mas se as suas preocupações e os seus medos são tão constantes que interferem na sua capacidade de levar a sua vida adiante, não conseguindo relaxar, você pode estar a ser afetado pelo transtorno de ansiedade generalizada.

A ansiedade generalizada é mentalmente e fisicamente desgastante. Drena a sua energia mental, eventualmente impede-o de dormir e relaxar, colocando o seu corpo em estado de alerta. Mas você não tem de sofrer desesperadamente por causa disso. Você pode libertar-se  disso e aprender a acalmar a sua mente ansiosa, assim como criar junto com seu psicoterapeuta um conjunto de estratégias que lhe permitem clarear o seu pensamento e fazer avaliações mais assertivas das situações que requerem a sua atenção.

Fiquem atentos ao nível de ansiedade nos tempos atuais. Falta água, falta energia, nosso poder aquisitivo caiu e a recessão gera altos níveis de desemprego. A violência, as epidemias, para onde olhamos a algo a temer. O mundo anda amedrontador e a nossa resposta é sempre o medo – e é do medo que nasce a ansiedade.

Compartilhar
Viviane Battistella
Psicóloga, psicoterapeuta, especialista em comportamento humano. Escritora. Apaixonada por gente. Amante da música e da literatura...



COMENTÁRIOS