Auto boicote – Você se auto boicota por quê?

Você já deve ter ouvido falar sobre auto boicote (ou auto sabotagem), mas você sabe o que é ou por que acontece?

Auto boicote é o termo que utilizamos para denominar certas atitudes que levam a pessoa a ter retornos negativos. Muitas vezes a situação se repete, mesmo a experiência tendo sido negativa na primeira vez e a pessoa ter prometido a ela mesma que jamais voltaria a passar por tal coisa. O auto boicote é inconsciente!
Quer alguns exemplos bem comuns?
Depois de passar por relacionamentos conflituosos finalmente a pessoa encontra alguém com qualidades compatíveis a ela. Tudo vai bem até que o relacionamento é tomado por incansáveis brigas. Depois do término a pessoa não sabe explicar o motivo, que agora, parece não fazer sentido. Também pode acontecer da pessoa trair a/o parceira/o e isso levar ao término.
Outro exemplo é aquele emprego dos sonhos que quando sai a entrevista a pessoa atrasa, esquece, ou até comete falhas bobas diante da/o profissional que irá entrevistá-la.
É também facilmente percebido na clínica: pacientes que se esquecem da consulta, ou que ao obter mudanças significativas começam a ter comportamentos negativos. É muito comum ouvir “Por que estou fazendo isso comigo agora que tudo estava caminhando tão bem?”.
O auto boicote é muito comum e está presente em nosso dia a dia em ‘menores e maiores graus’. O motivo é diferente para cada pessoa, pois está ligado a história de vida de cada um, por exemplo, se em algum momento da vida algo tiver acontecido que a fez se sentir não merecedora, toda vez que algo muito bom está para acontecer a pessoa inconscientemente se auto boicota.
Pode estar ligado a sentimentos inconscientes como o medo e a culpa. Por exemplo, uma pessoa que é a única bem sucedida da família começa a perder empregos e boas oportunidades. Ou que teve uma experiência traumática em alguma viagem e ao ganhar uma viagem internacional com tudo pago perde a data de embarque.

Diante disso tudo, o que fazer?

O primeiro passo é ter consciência de que várias coisas que acontecem em nossas vidas não são por acaso e que não só conscientemente, mas inconscientemente também estamos sempre em busca de algo. A partir daí é passar a observar os próprios comportamentos, quando surgem e se possível identificar qual o sentimento naquele momento. É sempre muito importante dar nome ao que está sentindo.
Lembre-se que a decisão de buscar autoconhecimento é sempre o primeiro grande passo. Quanto mais nos conhecemos, mais fácil fica trabalhar e lidar com sentimentos e comportamentos que influenciam positiva ou negativamente o nosso dia a dia.

Compartilhar
Karla Kratschmer
“A psicóloga Karla Kratschmer atende em São Paulo/SP, em consultório particular localizado no bairro Chácara Santo Antônio, na região das ruas Verbo Divino e Alexandre Dumas.Seu atendimento tem como base a teoria psicanalítica e é voltado a adolescentes e adultos.​​Dedica-se ao atendimento clínico desde o início de sua formação em psicologia, buscando também envolver-se em programas de psicologia diferenciada* que visam melhoria na qualidade de vida, disponibilizando alguns horários para pessoas que desejam iniciar um processo psicoterapêutico, mas não tem condições de custear os valores de mercado.”



COMENTÁRIOS