Como não se perder quando se perde um grande amor?

Em algum momento da vida, a maior parte de nós já se perguntou sobre qual seria a melhor maneira de lidar com um amor que chegou ao final.

Um dos passos iniciais é ser sincero com os próprios sentimentos, respeitando e dando o tempo que julgar necessário para absorver o término.

Há estudos a respeito dos estágios de luto. Entre essas etapas, estaria a negação, que seria essa incredulidade de que aquilo realmente está acontecendo. Depois, a raiva de pensar no desperdício de tempo com aquela relação, uma vez que hoje você pode estar acreditando ter sido inútil tendo, inclusive, reações agressivas. Passa-se também por uma fase de tentar negociar ou até mesmo postergar aquela situação de fim. Há ainda a depressão reativa, em que colocamos nosso lado mais frágil na berlinda, e o choro pode ser frequente.

Na fase da tristeza, se permita chorar e exteriorizar os próprios sentimentos, sem julgamentos. Realize a introspecção e, caso se sinta à vontade, procure um profissional que poderá ajudar sendo imparcial e auxiliando na busca da sua própria luz.

Não se esqueça, somos seres humanos que erramos e acertamos periodicamente, então, não se sinta frustrado de ter demonstrado amor ou fragilidade, até porque o orgulho ou rancor não tornam as pessoas mais felizes.

As demonstrações de afeto e o fim de uma relação fazem parte do círculo social dos indivíduos, e se perdoar por possíveis faltas faz parte do processo de amadurecimento.

A fase mais próxima do recomeço é a da aceitação. Aceitar quando uma etapa chegou ao final, reconhecer os sinais e respeitar que nem tudo acontece como gostaríamos.

Aprecie seus pontos positivos e fortes, veja a oportunidade que teve de aprender com o outro e seja sempre grato pelas experiências, que te constroem como pessoa.

Um término de relacionamento nos obriga a caminhar para a redescoberta e autoconhecimento. Não tenha pressa em substituir nada, nem ninguém. Aproveite o tempo para se cuidar.

Aprenda que o passado foi feito para reflexão e não necessariamente para repetição por facilidade. O comportamento de tempos atrás não precisa ecoar, pois somos indivíduos em constante mudança.

Quando não criamos grandes expectativas ficamos mais abertos para eventos novos. O pensamento positivo ajuda a fortalecer o que está por vir e pode parecer clichê, mas o tempo ameniza muitas marcas.

Então, nesses momentos de términos de relacionamentos, a nossa maior arma ainda é descansar o coração, pois ele é nosso maior tesouro.

Compartilhar
Thyara Fernandes
Pós-graduada em Direito Público, hoje estudante de psicologia e apaixonada pelo curso. Casada, servidora pública e uma leitora feliz de sites e livros. Desejo seguir uma nova carreira na psicologia ou aliar os conhecimentos jurídicos já adquiridos e adorados.



COMENTÁRIOS