Entenda como lidar com uma pessoa que tem o transtorno borderline

Por Tahiana Andrade S. Borges

Lidar com pessoas com Transtorno de Personalidade Borderline é muito difícil, pois, a instabilidade emocional, a irritabilidade fácil, o medo da rejeição e a impulsividade dificultam os relacionamentos interpessoais.

A Síndrome de Borderline, também chamada de Transtorno de Personalidade Limítrofe, é um transtorno mental grave com sérias oscilações de humor e impulsividade. Uma pessoa com o diagnóstico borderline possui hiperatividade emocional em que estão constantemente sobre a carga de emoções muito intensas e dificuldade em lidar com as próprias emoções

Características do portador do TPL

Um border, como chamamos o indivíduo com personalidade borderline, costuma viver relações intensas, porém com instabilidade e agressividade, tendo dificuldade em lidar com situações desagradáveis. Segundo a psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva “a personalidade borderline é marcada pela dificuldade nas relações interpessoais, pela baixa autoestima, instabilidade reativa do humor e impulsividade. Quando essas características se apresentam de forma muito disfuncional, nós a chamamos de transtorno.”

Como lidar com pessoas portadoras do Transtorno Borderline

Lidar com pessoas com esse tipo de personalidade é bastante difícil, visto que, a instabilidade emocional, a irritabilidade fácil, o medo da rejeição, a impulsividade e as explosões de fúria tornam os relacionamentos instáveis e desajustados, provocando constantes desafetos e conflitos interpessoais. Para facilitar o relacionamento, o primeiro passo é encaminhar a pessoa para o tratamento adequado, tanto psiquiátrico, quanto psicológico.

Em seguida, deve-se compreender as características específicas da personalidade border a fim de entender como as pessoas border tendem a reagir e a se comportar diariamente.

Ambiente familiar

Outra característica importante é saber manter um ambiente domiciliar calmo e tranquilo. “A pessoa com TPB é prejudicada em sua capacidade de tolerar o estresse no relacionamento (ou seja, a rejeição, críticas, discordâncias) e pode, portanto, se beneficiar de um ambiente calmo em casa. É fundamental ter em mente o quanto que as pessoas com TPB lutam emocionalmente a cada dia. Apesar de sua experiência interna pode ser difícil de explicar o que sentem. Vamos explicá-lo, resumindo em três desvantagens: afeto descontrole, a intolerância de solidão, e pensando em preto e branco” (Nacional Education Alliance for Borderline Personality Desorder).

Características de personalidade

Também é preciso ter em mente que a pessoa com personalidade borderline tem medo de solidão e de rupturas em seus relacionamentos, por causa disso, situações simples como viagem de férias de um parente, por exemplo, pode ser um grande problema para o border que possui medo de ser rejeitado e esquecido. Assim, a ausência do outro é vista como um abandono o que pode levar o doente à dissociação, um sentimento estranho de inquietação.

Por causa dessas questões, é necessário manter a rotina domiciliar, sempre atentando para um contato rotineiro entre familiares e amigos próximos, a fim de reduzir o sentimento de rejeição e abandono.

  • Fique atento às ameaças de suicídio e às automutilações, características do border. Nesses casos dê atenção ao doente, converse e passe tempo com ele, compreenda suas angústias e aflições.
  • Tenha sempre em mente que, independente do transtorno psicológico ou mental, as terapias medicamentosas e psicológicas, as arteterapias, a fé e uma estrutura familiar harmoniosa e amável melhoram o estilo de vida de qualquer pessoa.

Fonte indicada: Família

Tahiana Andrade S. Borges

Tahiana Andrade S. Borges é psicóloga clínica e especialista em Gestão de pessoas. É escritora free-lancer de sites e blogs, escrevendo sobre assuntos relacionados à Psicologia e Comportamento Humano.

Compartilhar
Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.



COMENTÁRIOS