Escolher a profissão que gosto X escolher a que dá dinheiro

“Alguns trabalham 8 horas por um salário, outros trabalham 24 horas por um sonho.” Caroline Mazzochin

Essa frase de Caroline Mazzochin nos traz uma intrigante reflexão. Escolher a carreira pelo dinheiro ou pelo sonho?

Hoje muitas pessoas escolhem suas carreiras pela possibilidade de uma boa remuneração financeira e esquecem de correr atrás de seus verdadeiros sonhos, aquilo que lhe dá prazer. O resultado pode ser a insatisfação do trabalho transformando-se assim em pessoas mal sucedidas. Quando não fazemos o que gostamos, podemos não nos dedicar o suficiente e não conseguimos crescer na carreira, consequentemente não teremos nosso tão sonhado retorno financeiro.

Quando fazemos o que gostamos, nos dedicamos o máximo e temos mais chance de nos transformarmos em profissionais com bom retorno financeiro, ou ainda nos sentimos tão motivados em realizar o trabalho que não importamos tanto com a remuneração. Por exemplo, lembro-me de um pedreiro, essa profissão não é recorrentemente citada como uma que ganha muito ou com grande status social, mas esse fazia seu trabalho com tanta qualidade que não lhe faltava emprego.

No entanto, muitas vezes não temos condições financeiras de arcar com o curso que sonhamos.  E temos que adiar esse sonho por um período. A condição financeira é um fator importante na escolha do curso que faremos.  Ingressar em um curso que não tem tanto retorno financeiro, ou não é o sonhado, mas está em sua cartilha de interesse pode ser uma solução para chegar em seu destino almejado.

Lembro-me de alguém que cursou licenciatura e depois de formada dava todo seu salário de professora para pagar o curso que realmente desejava. Ela trabalhava por um sonho.

Um outro ponto importante a ser refletido é: O que é sucesso para você?

Frequentemente associamos donos de empresas e profissionais com grandes cargos com pessoas bem sucedidas, mas o sucesso pode representar bem mais do que um bom salário ou um excelente cargo. Pode ser uma casinha no campo longe de todos os problemas, uma boa saúde, alcançar todos os objetivos de vida e passar por todos os obstáculos dela ou ainda alcançar o topo do Monte Everest.

Sucesso é um conceito muito flexível, pessoal e intransferível, ou seja, cada tem o seu conceito de sucesso.  Sempre nos aniversários e festas de final de ano nos desejam essa palavra, mas você já pensou o que é sucesso para você?

Lembrem da frase do gato a Alice no filme Alice no País das Maravilhas: “Quando não sabe para onde ir, qualquer caminho serve.” (Alice no País das Maravilhas) É importante sabermos onde queremos chegar e não andarmos “como a maré”.

Compartilhar
Carolline Lopes
Carolline Lopes recém formada em psicologia (CRP 05/ 50327), pós-graduanda em MBA Executivo em Coaching pela Universidade Candido Mendes e Instituto Pro-Minas. Escritora em um blog com seu nome. Apresentou diversos trabalhos em congressos nacionais com temas relacionados a psicologia da saúde e Jurídica. A partir da pôs graduação tem explorado a temática da orientação profissional



COMENTÁRIOS