Ficar “agarradinho” pode melhorar seu relacionamento e faz bem para saúde

Passar um tempo agarradinho com seu parceiro ou dar uma abraço rápido são gestos simples que podem fazer toda diferença em um relacionamento e, inclusive melhoram a saúde. Segundo a ciência, essas atitudes podem liberar uma substância chamada ocitocina, também conhecida como o “hormônio do amor”.

A ocitocina age como um neurotransmissor, assim a substância é liberada quando existe o contato de pele entre as pessoas, e também quando existe a formação de uma relação de confiança entre elas. Dessa forma, ela é conhecida pela sua função de união entre as pessoas e desenvolvimento de ligações de carinho.

Recentemente, diversos estudos têm relacionado a ocitocina como uma forma de ajudar no tratamento de esquizofrenia, autismo, depressão pós parto e até para ajudar na perda de peso. Além disso, quanto mais alto os níveis de ocitocina no sangue, maior é a sensação de bem estar e felicidade. O “hormônio do amor” também ajuda a diminuir os quadros de estresse, medo e ansiedade.

Um estudo conduzido pela Universidade de York, na Inglaterra, Universidade de Lausanne e da Universidade de Fribourg, ambas na Suíça, descobriu que casais que fazem sexo com mais frequência tinham mais afeição no dia a dia, física e verbalmente, resultando em um relacionamento mais saudável.

Outra pesquisa também evidenciou as vantagens da ocitocina, pesquisadores norte-americanos constataram que ter uma vida sexual saudável aumenta a satisfação e o engajamento das pessoas no ambiente de trabalho.

Contudo, os benefícios não estão ligados apenas às relações sexual, um singelo toque ou uma demonstração de carinho já são suficientes para melhorar a satisfação em um relacionamento.

Imagem de capa: Shutterstock/John Warner

TEXTO ORIGINAL DE MINHA VIDA

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Psicologias do Brasil
Informações e dicas sobre Psicologia nos seus vários campos de atuação.

COMENTÁRIOS