“O 5 Ésses dos relacionamentos”

Por Paulo Ratki

Sobre relacionamentos saudáveis.

São muitas as teorias e muitos os pensadores que se debruçaram e ainda permanecem firmes, no propósito de ensinar as pessoas, qual a melhor forma ou técnica de termos uma vida boa mediante relacionamentos saudáveis. Seria impossível neste curto espaço em que escrevo, e também muito tedioso, mencionar a quase uma centena de fórmulas que li, estudei, treinei, enfim, que tenho algum conhecimento, portanto não farei isso.

Mas, para deixar algo de valor, no intuito de colaborar com o debate sobre o tema, quero deixar a minha reflexão pessoal, de pensador, filósofo, coach, enfim, de minha experiência humana, bem simples de se entender, basta estarmos dispostos a reflexionar profundamente.

Tenho que, para termos relacionamentos saudáveis, seja conjugal, de amizade, profissional, familiar, enfim, qualquer um, é necessário cinco pré-requisitos muito importantes, ou cinco sensos, como os chamo, que são:

  1. Respeito
  2. Amizade
  3. Confiança
  4. Empatia
  5. Sexo

Antes que alguém me faça a pergunta: “Como assim, sexo em todos os tipos de relacionamentos, o que você quer dizer?” – Calma lá, eu explico.

Tenho esses cinco como virtudes e fatores essenciais para qualquer relacionamento saudável e duradouro. O importante aqui, e também muito difícil, é você ter os cinco ao mesmo tempo, e nem poderia, pois com um grande amigo, um colega de trabalho, um parente, não podemos fazer sexo, ou não deveríamos conforme diz a boa regra de conduta. O que conta mesmo é termos a maioria desses, variando conforme o tipo de relação de pessoa para pessoa.

Por exemplo, você pode ser casado a algum tempo e ter com seu parceiro(a) todas essas coisas juntas, com certeza esta é uma relação muito estável, duradoura e com muito amor de ambas as partes. Por outro lado, um parceiro(a) em que é maravilhoso fazer sexo mas que não se tem nenhuma das outras virtudes, a tendência é que a relação não tenha futuro.

Outro exemplo é no trabalho, eu não preciso estar fazendo sexo com o colega e nem ser amigo dele, mas temos muito respeito, confiança e empatia um pelo outro, o que resulta em uma boa convivência profissional que gera resultados positivos para empresa e para vocês e, conquistando mais adiante, a nobre virtude da amizade verdadeira.

Vejamos um pouco os relacionamento familiares, quando muito se tem um ou dois ou nenhum desses fatores ou virtudes, gerando relacionamentos conflituosos em que muitos parentes não se suportam. E é exatamente ali, na célula da família que precisamos construir o respeito, a amizade, a confiança e a empatia, para assim, transformarmo-nos em futuros parceiros saudáveis, que irão se relacionar, construir família, ter agora o fator sexo como saúde e conquista da plenitude emocional, colaborando assim para a construção de uma sociedade mais justa e saudável.

O importante e fundamental é termos em nossas relações a maior quantidade dessas virtudes ou fatores, e aqueles que faltam, se for o caso, irmos construindo, sedimentando com o tempo, a fim de que, cada vez mais, as pessoas possam se ver como humanos, se relacionarem melhor, com mais saúde, equilíbrio e conquista plena de maturidade em todos os níveis de todos os relacionamentos.

 

Compartilhar
Paulo Ratki
Analista e Coach Especialista em Inteligência Emocional Six Seconds Emotional Intelligence Assessment – SEI Presidente do LIDE RS Líderes Empresarias Grupo Dória



COMENTÁRIOS