Somos um “mosaico” de influências

O mosaico é uma das mais antigas e mais belas expressões artísticas do homem. Nela, o artista compõe um minucioso e elaborado trabalho a partir de fragmentos que dão forma e beleza, possibilitando que uma imensidão de partes se tornem num todo.

Podemos fazer uma analogia do mosaico com o ser humano, pois semelhante ao mosaico, somos construídos cuidadosamente nas esferas biológica, psicológica, social e espiritual, a partir dos mais variados fragmentos de influências ao longo da nossa história de vida.

É a partir da ressignificação da nossa história pessoal que descobrimos todas as boas e más experiências vivenciadas. Descobrimos como elas nos moldaram e nos fizeram agir no mundo a partir da nossa subjetividade. É exatamente nesta perspectiva que gosto de comparar o ser humano a um “mosaico” que foi, e está sendo, cuidadosamente elaborado.

No momento presente trazemos em nós os fragmentos de cada etapa dessa delicada construção. Assim como num mosaico, somos construídos pelas mais variadas influências, algumas boas e outras nem tanto, mas que acabaram por nos modelar como indivíduos, configurando nossas crenças, nossos medos e nosso jeito singular de estar no mundo.

A boa notícia, é que no “Mosaico” da nossa vida, ele está em constante elaboração e quem dá os retoques finais e faz as correções necessárias, somos nós mesmos. Dessa forma, podemos rever nosso modo de estar no mundo, descartando nossas crenças e atitudes errôneas, avaliando de que maneira estamos respondendo às questões da vida, para assim adotar novos padrões de “beleza” em nosso comportamento.

Quando reformulamos nosso jeito de ser, podemos dar uma nova forma ao nosso “mosaico”, nos libertando dos fragmentos defeituosos, permitindo que fique em nós apenas aquilo que é belo, leve e harmonioso. Mas vale ressaltar que esse trabalho de revisão deve ser constante, pois na prática, o “mosaico humano” está em constante mutação.

A partir das correções e das novas configurações do mosaico do nosso “EU”, as pessoas notarão a nossa beleza interior (se for exterior, melhor ainda) e o seu mundo será um local mais belo e mais interessante para se viver. Seria como se artistas estivessem apresentando as suas melhores obras ao mundo.

Nessa perspectiva de influências recebidas e transmitidas, não poderia deixar de falar que você tem a chance de selecionar e carregar apenas os melhores fragmentos recebidos daquelas pessoas especiais que passaram por sua vida. Você também tem a oportunidade se eternizar a partir dos belos pedacinhos do seu “mosaico” que acabarão impregnados nas vidas de outras pessoas.

Sendo assim, elabore o seu mosaico da vida e seja você mesmo a sua melhor versão de si.

Compartilhar
Pedro Leite
* Graduado em Psicologia pela FAESA-ES; * Pós-Graduado em Gestalt-terapia Clínica PELA MULTIVIX-ES; * Pós-Graduado em Terapia Cognitivo Comportamental pela UNIARA-SP.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS