Verdade ou mentira; A vida sexual do homem acaba na velhice?

No imaginário social, muitos acreditam que a vida sexual do homem, acaba quando chega à terceira idade, será que essa afirmativa está correta? 

É claro que Não! A atividade sexual regularmente, só possibilita benefícios, sejam eles à saúde física e mental do homem, independente da sua idade. É sabido que, a perda do interesse sexual não possui relação com a idade, mas sim com a saúde física, sexual e emocional/psíquica do homem.

Estudos afirmam que: o homem que cuida bem da sua saúde possui maior qualidade de vida, inclusive sexual. Sendo assim, enfrenta melhor o processo de envelhecimento. Portanto, fazer exercícios físicos, manter uma boa alimentação, beber boa quantidade de água e ingerir liquidos saudáveis durante o dia, são possibilitadores de uma melhor qualidade de vida.

Até aqui ficou claro, que envelhecer não significa o fim da atividade sexual?

O autoconhecimento é muito importante, pois o homem que conhece o seu corpo e seus limites saberá aproveitar a vida sexual em todas as fases da vida. Com a maturidade adquirida no decorrer da vida e com as suas experiências sexuais, o homem aprende a lidar com o seu corpo, com a sua sexualidade, criando a sua performance, o que acarretará no melhor aproveitamento do seu tempo de ereção e com isso, é fundamental que compreenda, que a relação sexual não deve ser reduzida a apenas ao encontro das genitálias, ou seja, a expressão sexual, vai para além da ereção e da penetração. A relação sexual vai desde as questões afetivas e emocionais envolvidas ao contato físico propriamente dito.

Cabe ressaltar que não são apenas os cuidados com o corpo/organismos que poderão possibilitar qualidade de vida. Insta destacar que: cuidar das questões afetivas e emocionais, são tão importantes, quanto as colocadas anteriormente, portanto,  faz se necessário manter bons relacionamentos familiares e afetivos, criar momentos de lazer e prazerosos, evitar o uso de substâncias psicoativas como fumo, abuso de álcool e/ou outras drogas.

O corpo envelhecido conserva gostos, sabores e encantos que precisa ser descobertos e aproveitados, sem contrapor ou submeter a juízos de valores que geralmente são negativos e desastrosos. Nessa fase, a descoberta se dar por meio das brincadeiras, risos, toques… …muitos toques e diversas outras formas. É importante deixar a imaginação e a criatividade fluir, lembrando sempre de respeitar os limites da parceria.

A falta de informação, faz com que muitos mesmo com idades menores, utilizam de forma errônea e exacerbada a terapêutica medicamentosa, todavia, para alguns as reações adversas pode ser irreversíveis ou fatais, portanto, faz se necessário o acompanhamento médico para a prescrição.

Como dito anteriormente, a perda do interesse sexual, não possui relação com a idade, mas sim com a saúde física, sexual e emocional/psíquica do homem. Sendo assim, ter uma boa saúde emocional/psíquica, contribuirá muito para seu desempenho sexual. Conhecer-se a si mesmo, compreender a sua história e aceitar que tudo o que passa em sua vida, diretamente está ligada a todas as fases da vida, fará com que você saiba lidar de maneira positiva, buscando estratégias para superação e respeito por seus limites.

Não se intimide, busque ajuda, tire suas dúvidas… Procure um Psicólogo (a) Terapeuta Sexual, que irá lhe ajudar a no autoconhecimento e buscará junto a você, estratégias para ganhar muita qualidade de vida como um todo.

Compartilhar
Juliano Coimbra dos Santos
Psicólogo, Especialista em Sexualidade Humana, Especialista em Gestão Empresarial e de Recursos Humanos, Graduado no Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos. Atua como Psicólogo Clínico, Sexólogo e como Psicólogo na Execução da Medida de Internação Socioeducativa no Instituto de Atendimento Socioeducativo do Estado do Espírito Santo – IASES. Diretor da JCSPSIC – Treinamento & Desenvolvimento Humano e atua como Professor do Centro de Pós Graduações – CESAP.



COMENTÁRIOS