Um recente estudo qualitativo procurou entender as principais razões pelas quais alguns homens escolhem não terem filhos e as experiências em torno de sua decisão.

Pesquisas anteriores se concentraram principalmente nas experiências de mulheres sem filhos, dadas as fortes pressões sociais sobre as mulheres para gerar filhos. Estudos descobriram que as mulheres que escolhem não viver a experiência da maternidade são frequentemente acusadas de serem “egoístas” ou “fracassadas”, enquanto os homens sem filhos enfrentam relativamente menos estigma. Eles se mostram menos satisfeitos com suas vidas em comparação com as mulheres sem filhos, talvez porque tenham menos a ganhar com a escolha. Além disso, em comparação com os pais, os homens sem filhos são menos fisicamente e psicologicamente saudáveis ​​e são mais propensos a sofrer ferimentos, falecer e tirar a própria vida.

Para entender melhor as experiências psicológicas de homens sem filhos, os pesquisadores entrevistaram 11 homens australianos se identificaram 5 razões principais que os levaram a escolher não ter filhos. São elas:

1. Ser diferente

Os homens enfatizaram que eram diferentes da norma, muitas vezes se descrevendo como “não tradicionais”. Eles não sentiram a necessidade de se conformar aos papéis de gênero ou aos padrões da sociedade. Por exemplo, um homem enfatizou as diferenças entre ele e seus irmãos, mencionando: “Meus dois irmãos se casaram quando tinham 25 anos ou algo assim e para mim parecia que eles estavam com muita pressa de apenas… casar e ter filhos; e eu nunca consegui entender isso. É como se eles mal pudessem esperar para serem velhos … acho que sempre serei o estranho tio Jon que tem cabelos compridos e você sabe, é estranho, mas estou feliz com isso.” Os homens achavam que os qeu tinham escolhido ser pais tinham motivos fúteis para isso, como “garantir que alguém cuidasse deles quando envelhecerem”.

2. Ter sido criado por um pai ausente

Ter pais ausentes foi um tema comum. Os homens entrevistados para o estudo acreditavam que o ideal de paternidade estava bem distante do que viveram em suas experiências como filhos. Eles acreditam que, para se tornarem pais, devem estar emocionalmente disponíveis, diferentemente de seus próprios pais, e isso traz um peso a mais de responsabilidade nesta escolha.

3. Medo de comprometer a liberdade ou as finanças

Muitos dos homens viam as crianças como uma ameaça à sua liberdade e segurança financeira, às vezes descrevendo seus próprios desejos como “egoístas”. Alguns afirmaram que não estavam preparados financeiramente para criar um filho.

4. Observação das experiências ruins de seus amigos

Os homens entrevistados também citaram como motivo para decidirem não ter filho o fato de terem observado as experiências ruins vividas por seus amigos que são pais. Lidar com o mau comportamento de uma criança em um evento social, ou ver a vida íntima do casal sendo anulada após o nascimento do filho são situações que, vistas de fora, desestimularam os homens entrevistados a serem pais.

5. Preocupações globais

Os homens afirmaram que não era adequado trazer uma criança a um mundo tão “cruel”. Outras preocupações incluem “superpopulação”, “crise energética” e “mudança climática”.

Apesar das muitas razões citadas para permanecer sem filhos, os pesquisadores concluíram que “a porta ainda está aberta” para esses homens em relação a serem pais. Curiosamente, todos eles responderam à pergunta da pesquisa: “Você espera ter filhos no futuro?” Com “De modo algum”, mas eles não parecem totalmente comprometidos com essa decisão. Os homens falaram positivamente sobre suas experiências pessoais com crianças, como sobrinhas e sobrinhos, e observaram que seus pontos de vista poderiam mudar no futuro. Um participante com uma vasectomia chegou a mencionar que, se a esposa engravidasse, eles ficariam com o bebê.

Os pesquisadores sugerem que a flexibilidade dos homens pode funcionar como um mecanismo de proteção, mantendo-os felizes com o que acontece. Eles concluem que a decisão de não ter filhos pode ser fluida para muitos homens e não parece ser tão essencial à sua identidade quanto é para mulheres sem filhos.

Ironicamente, como observado pelos pesquisadores, muitas das razões pelas quais os homens citam por não ter filhos ainda – como querer estar preparado, querer proteger seu filho dos perigos do mundo e querer estar emocionalmente disponível para o filho – são características de uma boa parentalidade.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Psychology Today.
Foto destacada: Pexels.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.