Richard Herefeld e Steffi Kay se conheceram de maneira muito particular, o que marcou para sempre o estilo de seu relacionamento. Eles se encontraram depois de terem se visto no Instagram, cada um usando roupas vintage.

Eles rapidamente se contataram e começaram a conversar online e, então, muito rapidamente, se apaixonaram. Richard, 29, viajou de sua terra natal, Alemanha, para o Canadá, apenas 10 dias depois de conhecer Steffi, de 26 anos. Seus planos eram originalmente de ficar apenas duas semanas, mas ele ficou por um mês.

A paixão em comum pelos anos 1930 permitiu que o amor entre eles desabrochasse como uma flor na primavera. Em pouco tempo eles estavam morando juntos em uma casa que imita fielmente o estilo dos anos 1930. Além disso, a música e toda a decoração de interiores da casa, proporcionam a quem visita o local uma inesquecível viagem no tempo.

Atualmente, os dois moram no apartamento art déco de Steffi em Toronto, onde ela decorou cada quarto em um estilo retro diferente. Desde a entrada da casa aos quartos e o banheiro, tudo tem uma temática pin-up do início do século anterior.

“Gosto de vintage desde a adolescência (…) lembro-me da minha tia limpando o sótão da sua casa de infância onde havia muitos vestidos da minha avó dos anos 30 (…) A minha tia estava decidida a desfazer-se de tudo e eu guardei minhas peças favoritas de lado porque eu sabia que precisava delas (…) Meu estilo também é inspirado por Jean Harlow e a época de ouro de Hollywood. Os filmes têm um grande impacto na forma como me visto”, disse Steffi Kay ao Metro.co.

Richard, entretanto, ganha a vida como cantor, interpretando canções da década de 30. Como resultado, ele tem que viajar constantemente entre a Alemanha e o Canadá para realizar seus shows nostálgicos. O que também significa que, tanto no trabalho quanto no tempo livre, ele usa roupas vintage o tempo todo.

Desde que se lembra, este jovem alemão usa o estilo dos anos 20 e 30 para se vestir. Sempre gostou do vestuário tradicional masculino, a tal ponto que desde os três anos fazia questão de usar a gravata do avô nas reuniões de família. E aos 17 anos ele usou uma camisa social para ir à escola. Seu guarda-roupa é composto por peças 70% originais, e já faz quase 8 anos que ele veste roupas exclusivamente vintage.

“Eu tiro os sapatos quando chego em casa, mas ainda estou de camisa, gravata e calça. É como me sinto mais confortável e, o mais importante, é o que eu gosto. Durante o confinamento, as pessoas perguntaram se nos vestíamos bem para ir ao supermercado porque era a única hora em que podíamos sair. Mas a verdade é que nos vestimos assim o tempo todo”, disse Richard Herefeld.

Muitas vezes as pessoas vêm até eles na rua e dizem que eles estão usando roupas bonitas da década de 1950, quando na verdade usam roupas das décadas de 1920 e 1930.”Essas primeiras décadas do século 20 estão quase esquecidas e ofuscadas por décadas mais tarde. Nós nem fazemos questão de corrigir. Agradecemos que as pessoas gostem de qualquer maneira”, explicou Steffi.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.
Fotos: richardherfeld / Instagram.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.