A amizade entre mulheres é estudada há décadas pelos campos da Psicologia Social e da Saúde. E é que, ao contrário da amizade entre homens, a feminina é algo mais particular.

Poder ter outra pessoa em quem depositar confiança sem se sentir julgado é um luxo ao alcance de muito poucos.

Na verdade, a amizade entre mulheres tem seu próprio nível de compreensão: a irmandade. Esse sentimento surge quando as mulheres, em vez de se confrontarem, descobrem que é muito mais satisfatório se aliar. Porque unidas, elas podem alcançar mais do que alcançariam se estivessem em confronto.

Em um mundo de vazios, são as conexões positivas que contam

Um ponto essencial deve ficar claro: não se trata de ter muitos “amigos”. O que mais afeta positivamente a saúde e o bem-estar é ter amizades autênticas e significativas, aquelas que muitas vezes se contam nos dedos de uma mão.

Hoje, as redes social ajudam a mantê-lo conectado com as pessoas. Mas é uma conexão real?

Todo mundo tem dezenas de amigos nas redes sociais. Requer imediatismo; e emoticons são usados ​​para representar emoções que, mais tarde, na vida real, não são mostradas com tanta agilidade.

Existem milhões de grupos de WhatsApp, através dos quais é impossível não se manter atualizado. E, no entanto, quanto mais interação, maiores são as lacunas e a sensação de que “algo está faltando”.

Esse “algo” é uma vida pessoal satisfatória. Lá, onde você pode estar cercado por redes de apoio, pessoas que trazem felicidade e segurança com sua proximidade; seres especiais para oferecer amizade e cumplicidade em troca de nada.

Uma boa maneira de combater esse vazio emocional é promover bons relacionamentos sociais. Nesse caso, as mulheres tendem a reagir de maneira diferente dos homens.

Mulheres reagem ao estresse de maneira diferente

Para entender como e de que maneira homens e mulheres lidam com o estresse, é necessário entrar no sempre fascinante mundo da neuropsicologia.

– De acordo com este relatório da American Diabetes Association, o estresse aumentaria significativamente os níveis de glicose e a pressão arterial. Isso pode ser muito perigoso, especialmente a longo prazo, para o bem-estar de um indivíduo.
– Da mesma forma, quando uma pessoa experimenta ansiedade e estresse por um longo perídodo de tempo, ela despeja em sua corrente sanguínea um verdadeiro “coquetel” de neurotransmissores, composto principalmente de cortisol e epinefrina.
– Existe um hormônio que funciona como neurotransmissor ao mesmo tempo e que pode ser a chave para reduzir o impacto do estresse: estamos falando de oxitocina.

A oxitocina, além de neutralizar a produção de cortisol e epinefrina, tem papel modulador do sistema nervoso central e promove a calma, como sugere o estudo do Dr. Flórez Acevedo. Na verdade, acredita-se que possa ser usado como um ansiolítico contra certos tipos de distúrbios.

Por sua vez, no caso dos homens, o estresse impacta de forma mais complexa.

– Para começar, há um aspecto que é interessante por si só: eles produzem menos quantidade de ocitocina.
– Por não se beneficiarem da presença da ocitocina de forma tão harmoniosa quanto as mulheres, sentem vontade de fugir ou lutar com mais urgência.

Tudo isso torna o estresse uma dimensão mais profunda e crônica no gênero masculino.

Amizade, uma grande provedora de oxitocina

Todo ser humano tem a necessidade genética de “conectar-se” com os outros, de construir laços baseados na empatia e no reconhecimento.

Nas mulheres, como já mencionado, isso pode ser devido à alta presença de ocitocina no cérebro, hormônio que visa promover a temperança.

– Assim, quando a vida se enrola, quando o estresse bate e os medos se opõem, as mulheres procuram a amizade com outras mulheres para regular esses medos e alcançar aquela cumplicidade reconfortante com a qual esconder angústias e relativizar problemas.
– Vale ressaltar que a amizade é uma dimensão que contribui para o gênero feminino em aspectos diferentes  – e, ao mesmo tempo, complementares – para a relação em casal ou para o vínculo com um familiar.
– As mulheres sabem, por sua vez, que esses amigos não são obrigados a resolver seus problemas. Não é sua função nem a procuram. O que elas precisam é se sentir ouvidas e saber que são compreendidas.

Amizade, uma grande ajuda

Para concluir, é necessário destacar que um círculo de amizades positivo, sólido e respeitoso é a chave para a saúde e a plenitude de vida, tanto para homens como para mulheres.

A sensação de apoio, conforto e força que os verdadeiros amigos trazem é muito gratificante. Por isso é muito importante cuidar deles: todos sabem que quem tem um amigo tem um verdadeiro tesouro.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Mejor com Salud.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.