Segundo estudo publicado em 2016 na revista The Lancet, os países em desenvolvimento têm um índice de 25% de depressão entre mulheres gestantes.  Sim, a gestação é um perído bastante complexo na vida de uma mulher, mesmo que o assunto seja ainda um tabu em nossa sociedade. E, para auxiliar na prevenção da doença nesta situação, um grupo de pesquisadores da FMUSP (Faculdade de Medicina da USP) criou um aplicativo capaz de identificar sintomas depressivos em gestantes e mães. O Motherly, como foi chamado, indica intervenções para evitar maiores riscos e também incentiva a procura por ajuda profissional de acordo com o quadro apresentado.

Uma versão preliminar do projeto será lançada em breve para mulheres que se candidataram para participar do período de testes, ainda como parte da pesquisa. Além da saúde mental, o aplicativo também monitora aspectos como peso, qualidade do sono, nutrição e atividades físicas.

No Motherly, a primeira coisa solicitada à gestante é que responda a algumas perguntas que ajudarão a montar seu perfil. Dessa forma, já é possível identificar sinais que merecem atenção. O aplicativo percebe indícios de alguma questão que pode se tornar clínica e promove algumas ações.

Para prevenir a depressão, o Motherly utiliza a chamada “ativação comportamental”. Como explica o pesquisador Daniel Fatori, ela é usada há décadas na clínica psicológica, e trata-se de incentivar o paciente a fazer atividades das quais gosta ou que lhe são importantes. A técnica parte do pressuposto de que, ao fazer essas atividades, os sintomas depressivos são naturalmente atenuados. “A diferença foi que transformamos essa técnica numa coisa automatizada, no aplicativo não tem intermédio de seres humanos”, diz Fatori.

“Fizemos uma versão automática, obviamente simplificando um pouco do que seria na clínica, para caber dentro do escopo de um aplicativo.” Ao usar o Motherly, as mães e gestantes também monitoram a qualidade do sono e da alimentação, bem como a prática de exercícios físicos, e recebem dicas de como melhorar cada um desses aspectos da saúde. O aplicativo também é personalizado, de modo que as recomendações que cada usuária recebe são diferentes de acordo com seu perfil: a gestante só entrará no módulo de ativação comportamentalizado, de modo que as recomendações que cada usuária recebe são diferentes de acordo com seu perfil: a gestante só entrará no módulo de ativação comportamental, por exemplo, caso apresente sintomas depressivos.

Além das funções interativas, Fatori destaca também que o aplicativo possui muito conteúdo informativo e educacional, que ajudam a sanar diversas dúvidas quanto ao período perinatal. “Ao invés de ter que procurar na internet ou confiar em grupos de Whatsapp e informações de pessoas leigas, a mãe ou gestante terá acesso a conteúdo exclusivo feito pela nossa equipe de médicos, dentre psicólogos, nutricionistas e outras especialidades.”

A princípio, o Motherly serve de auxílio para todo o período da gestação e até três meses após o nascimento. A longo prazo, os pesquisaddores querem desenvolver o aplicativo o suficiente para que ele possa ser utilizado até que a criança complete cerca de quatro anos. Para mais informações, acesse o site.

***

Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UOL.
Foto destacada: Imagem: Getty Images

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.