As coisas correram tão bem na Nova Zelândia em relação ao COVID-19 que a primeira-ministra Jacinda Ardern e seu gabinete decidiram que quase todas as restrições agora podem ser removidas.

Depois de 40.000 pessoas testadas, 12 dias sem que ninguém desse entrada em hospitais com suspeita de covid-19, 40 dias desde a última transmissão da comunidade e 22 dias desde que essa pessoa terminou seu auto-isolamento, a Nova Zelândia está tentando reiniciar sua economia reduzindo as medidas preventivas ao nível mais baixo.

Mantendo rigorosos controles nas fronteiras para impedir que as pessoas tragam o vírus para o país, todas as restrições sobre pessoas e empresas no país foram removidas em 7 de junho. As autoridades apenas pedem que os cidadãos mantenham o controle de onde estiveram e com quem mantiveram contato para fins de rastreamento de contato, caso ocorra outro surto.

“Nós nos unimos de maneira sem precedentes para derrotar o vírus”, disse Ardern em uma entrevista coletiva em Wellington. “Nosso objetivo era sair do outro lado o mais rápido e seguro possível. Agora temos um avanço em nossa recuperação econômica.”

Além disso, embora algumas atividades esportivas domésticas tenham sido retomadas em todo o mundo, a nação do Pacífico obcecada pelo rugby será o primeiro país que lidou com a pandemia de coronavírus que volta a receber torcidas nos estádios.

Com uma população pequena, a Nova Zelândia conseguiu aplicar medidas de bloqueio ainda mais rigorosas do que em outras partes do mundo – paralisando a doença após 1.500 casos confirmados e 22 óbitos. Eles alcançaram a erradicação do vírus e são o primeiro país a fazê-lo.

via Gfycat

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Good News Network.
Foto destacada: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.