Na tarde desta terça-feira, dia 15, os telespectadores mais ávidos da 22ª edição do BBB acompanharam em tempo real a desclassificação da participante Maria, sob justificativa de que a cantora infringiu as regras do programa ao agredir outra participante, a modelo Natália Deodato, durante uma dinâmica do reality da Globo na noite de segunda.

A direção do programa anunciou a decisão após forte pressão das redes sociais. No Twitter, as hashtags #agressaonobbb e #mariaexpulsadobbb22 figuraram entre os assuntos mais comentados no Brasil.

Maria e Natália Deodato durante a dinâmica do “Jogo da Discórdia” na edição desta segunda-feira do BBB22. Imagem: Reprodução/Rede Globo.

No episódio de hoje do podcast “Splash Vê TV“, da UOL, as colunistas Aline Ramos e Cristina Padiglione discutiram a expulsão de Maria do reality show e propuseram um importante questionamento, “as violências psicológicas praticadas no programa também serão discutidas?”

Para Aline Ramos, o BBB e o público não estão preparados para uma discussão sobre violência psicológica. Segundo a colunista, nem mesmo em relação a casos de racismo, crime previsto em lei, a emissora carioca soube criar um regimento claro.

“É muito complexo porque vivemos em uma sociedade extremamente violenta e que naturaliza várias atitudes violentas. Eu sinto que o público e o BBB não estão preparados ainda para um debate mais avançado sobre violência psicológica. O programa ainda não consegue nem criar regras quando os participantes fazem algo racista, imagina ter a capacidade de avaliar o que é violência psicológica ou não.”, disse a colunista.

Marcos Harter e Emilly Araújo, partcipantes do BBB17.
Imagem: Reprodução/Rede Globo.

Cristina Padiglione acrescenta que casos de violência física são mais fáceis de ser avaliar do que casos de violência psicológica, que fica em um campo mais subjetivo. Para a colunista, uma alternativa seria a criação de uma comissão para analisar esse tipo de violência dentro do programa.

“Eu acho as coisas que a Karol Conká disse para o Lucas Penteado no BBB passado mais doídas, mas como é que fazemos esse julgamento? Precisa existir uma comissão para debater e avaliar isso. Algumas coisas ditas ali em algumas situações são mais dolorosas que um tapa ou uma baldada na cabeça.”.

Jogo da Discórdia

O episódio de agressão que causou a expulsão de Maria ocorreu no chamado “Jogo da Discórdia”, em uma dinâmica que insitava cada um dos confinados a fazerem uma acusação contra outro partipante. Após a exposição dos argumentos, todos os outros integrantes do elenco do reality votavam à favor ou contra a acusação. Quem saía derrotado nesse “juri popular”, recebia um balde de água na cabeça.

A dinâmica causou forte controvérsia entre o público. Muitos classificaram o episódio como desumano e acusaram a direção do programa de praticar violência psicológica.

Confira abaixo o vídeo do momento da agressão no BBB22.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Splash.
Imagem de capa: Reprodução/Rede Globo.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.