Em 2021, vão se passar 10 anos desde que eclodiu o violento conflito na Síria, que ainda está em vigor. Nesse período, em meio a toda a crise que o país do Oriente Médio enfrenta, surgiram histórias inspiradoras de resiliência.

Este é o caso de Abderrazaq Khatoun, um idoso de 83 anos que perdeu 13 filhos e uma esposa para o conflito. No entanto, ele não teve outra escolha a não ser se reerguer para criar seus 11 netos órfãos.

Conhecido como o “pai dos mártires”, este valente avô dedicou-se a treinar estes pequeninos num campo de Idlib, povoação dominada pelos rebeldes. Depois de ser deslocado de sua casa em Hama, ele e outros parentes ergueu quatro tendas em Harbanoush.

Como pode ser visto em um relatório da AFP , este pai de 27 filhos perdeu vários deles no conflito. “Desde o início da revolução, minha família já contabiliza 7 mártires”, comentou, referindo-se aos seus 7 filhos falecidos, membros das forças rebeldes.

“Perdi quase toda a minha família(…) Em um instante, perdi todos eles”, acrescentou, com lágrimas nos olhos, enquanto olhava as fotos dos filhos em seu celular.

Pelo menos 387.000 pessoas peerderam a vida na Síria desde o início dois conflitos, enquanto milhões foram deslocados. “Perder filhos é devastador, mas defender sua terra exige sacrifícios e estou orgulhoso deles”, enfatizou o homem.

“Eles estavam no auge da juventude”, acrescentou Khatoun, que espera que a justiça seja feita.

Depois de sofrer essas perdas, o mais importante para ele é acompanhar os netos na formação. “Vou ensinar a seus filhos que o sacrifício é necessário para defender o que é justo e exigir uma vida digna”, disse.

“Alguns dias passamos fome e outros comemos … (espero que) eles tenham uma vida feliz e que se lembrem das histórias de seus pais se sacrificando para defender a terra”, disse ele.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.
Fotos: AFP.

RECOMENDAMOS






Os assuntos mais importantes da área- e que estão em destaque no mundo- são a base do conteúdo desenvolvido especialmente para nossos leitores.