O abuso é uma experiência avassaladora para qualquer ser humano. Deixa sempre vestígios difíceis ou, em alguns casos, impossíveis de apagar. Quando se trata de uma situação de abuso vinda do parceiro, as consequências psicológicas geralmente são muito profundas, especialmente se o dano vier de alguém que você ama.

É conveniente fazer uma diferenciação entre lesão mental e abuso psicológico. A lesão mental é o resultado de um ato violento. O conjunto de sensações e emoções vivenciadas imediatamente após ser vítima de abuso. As sequelas psicológicas, por outro lado, são os vestígios que ficam na mente, quando as lesões mentais não foram tratadas de forma adequada.

“ Em qualquer relacionamento que você tem, você não merece quem não te ama, e menos ainda, quem te machuca. E se alguém te machuca repetidamente sem má intenção, pode merecer, mas não combina com você ”.

-Walter Riso-

O abuso pelo parceiro, assim como o abuso intrafamiliar, são os dois tipos de violência que têm maior impacto na vida de uma pessoa . O vínculo afetivo é profundo e por isso mesmo a situação de abuso tende a persistir por um longo período de tempo. O pior é que em muitos casos a violência é sutil ou consentida pelo meio ou pela cultura. Portanto, nem mesmo se reconhece que existe um problema e é por isso que persiste por décadas.

Abuso de parceiro

O abuso do parceiro se manifesta de várias maneiras. Um dos mais brutais e dolorosos é aquele que envolve violência física. No entanto, existe também todo um conjunto de comportamentos abusivos que parecem quase invisíveis aos olhos dos outros.

Ou abuso de parceiro e manifesto em comportamentos como os seguintes:

– Provocar e ridicularizar as crenças, aparência ou opiniões da pessoa abusada.
– Constantemente apontar os erros e defeitos do outro.
– Manipulação para fazer a outra pessoa para se sentir culpada. O outro é contantemente criticado por não corresponder às expectativas e é punido com silêncio ou raiva.
– Negar a existência de abuso. Se a vítima busca falar sobre o assunto, o agressor se recusa a dialogar ou não reconhece que suas ações causam danos.
– Isolar o outro de seus amigos e familiares. Isso inclui ciúme, críticas a amigos ou familiares, aborrecimento com encontros sociais, etc.

Em todos esses comportamentos, o ponto comum é o desejo de controle sobre o parceiro. O agressor sempre tenta se impor e anular o outro, mesmo que o faça de forma sutil. Na verdade, você não precisa gritar ou dizer palavrões para se envolver nessas formas de abuso de parceiro.

As consequências do abuso

O abuso do parceiro deixa consequências psicológicas em diferentes áreas da vida. Vestígios permanecem no corpo, mente e vida social . Embora cada caso seja diferente e cada pessoa reaja de maneira diferente, as consequências são mais ou menos as mesmas.

As principais consequências desse tipo de situação são:

– Sequelas psicológicas. Tem a ver principalemnte com os danos à auto-estima. Na verdade, quem tem pouca autoestima apresenta maior risco de cair nas mãos do agressor. Surgem sentimentos de culpa e desamparo, bem como estados de ansiedade e depressão.
– Sequelas físicas. As sequelas físicas mais frequentes são problemas de sono, distúrbios digestivos, dores de cabeça, hipertensão e distúrbios respiratórios
– Sequelas sociais. Na maioria das vezes, a vítima de abuso se isola. Ele começa a deixar de ver seus amigos e, posteriormente, sua família, pois se sente indigno e envergonhado. Além disso, é claro, para não incomodar seu parceiro, que costuma desconfiar desses encontros.

É importante notar que, para homens vítimas de um relaqcionamento abusivo, a situação costuma ser um pouco mais complexa, a sociedade continua a ser muito machista e não se vê bem que um homem se deixe maltratar pela companheira. Então, eles tendem a esconder isso e até relutam em admitir para si mesmos. É por isso que têm um pouco mais de probabilidade de adoecer e desenvolver vícios em resposta à dor oculta.

O que fazer?

Viver um relacionamento abusivo gera grande confusão, principalmente no início. Normalmente, fortes ambigüidades começam a surgir em sentimentos, atitudes e pensamentos. Você ama e odeia. Se sente irritado e, ao mesmo tempo, justifica o comportamento do outro.

Nunca é fácil enfrentar o fato de que a pessoa que amamos também é uma fonte de problemas e que talvez a única saída seja deixá-la. Tudo isso faz parte da dinâmica perversa de um relacionamento abusivo.

O mais difícil ao tentar sair desse tipo de situação, que sempre é muito prejudicial, é dar o primeiro passo. E o primeiro passo é aceitar que você está em um relacionamento abusivo. Aceitando isso, o próximo passo é enfrentar o fato de que essa situação não vai desaparecer por si mesma e que, portanto, é preciso pedir ajuda. Idealmente, a psicoterapia provavelmente envolve elementos muito profundos.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de La Mente es Maravillosa.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.