Por meio de suas redes sociais, a bailarina Thais Carla comemorou a condenação do humorista Léo Lins, em um processo judicial que ela moveu contra ele por gordofobia. O caso foi julgado pela 8ª Vara Cível do Sistemas de Juizados Especiais da Comarca de Salvador e o humorista foi condenado a pagar R$ 5 mil por danos morais. A decisão não cabe recurso.

Léo Lins foi condenado por usar a imagem da bailarina indevidamente e também por publicar um vídeo divulgando dados pessoais dela.

“Me ridicularizou com diversas frases preconceituosas e gordofóbicas. Essa foi a primeira vez que um juiz deferiu diretamente a condenação pela violação de gordofobia em primeiro plano, o que é um excelente ganho para todas pessoas gordas”, compartilhou ela com os seguidores nas redes sociais.

Na sentença, à qual o G1 teve acesso, a juíza Carolina Almeida da Cunha Guedes, responsável pelo caso, fundamentou que, “no caso dos autos, a postura do réu transcende a esfera da mera utilização indevida da imagem, a autora foi gratuitamente ofendida, avacalhada nas redes sociais pelo réu e seus seguidores. Desta forma, a obrigação de reparar o dano decorre do próprio uso indevido da imagem, notadamente quando viola a dignidade da parte autora.”

Na decisão, o humorista disse que fez um vídeo, sobre o vídeo “Entalada no avião – Como viajar sendo gorda”, publicado por Thais Carla, na internet.

Segundo o humorista, “vídeos de humor objetivam trazer temas do cotidiano, que permitem o debate de ideias, comentados com teor humorístico e não pejorativo”.

Antes de tomar a decisão, os juízes afirmaram que Thais Carla trouxe documentos e o vídeo que mostrava dados pessoais e imagem da dançarina, sem a autorização dela.

“A expôs, ridicularizando-a com diversas frases preconceituosas, exalando inequívoca gordofobia, inclusive encorajando que as pessoas inscritas nas suas redes sociais publicassem mensagens igualmente ofensivas contra ela”, diz a decisão.

“A imagem da autora foi utilizada para promoção do Réu, com nítido proveito econômico, esse, se valeu de uma pessoa pública para gerar conteúdo e propagar ofensas”, completou.

Nas redes sociais, Thais encorajou seus seguidores a buscarem os direitos deles..

“Lutem pelos direitos de vocês! Espero que essa ação sirva para inspirar muitas outras pessoas. Ninguém pode nos ofender livremente e achar que ‘tudo bem’. Fiz isso não só por mim, mas por todas pessoas gordas que sofrem ataques. Não merecemos viver isso caladas!”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de G1.
Foto destacada: Reprodução/Redes Sociais.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.