Como diz o velho ditado, o dinheiro não traz felicidade. Mas Charles “Chuck” Feeney sabe em primeira mão que pode ser usado para tornar o mundo um lugar melhor!

O homem de 89 anos é cofundador da varejista de aeroporto Duty Free Shoppers, por meio da qual acumulou sua fortuna de US $ 8 bilhões. Não demorou muito para ele perceber que gastá-lo consigo mesmo nunca lhe trazia a alegria pura que ele sentia ao doá-lo.

Feeney defende a filosofia de “Giving While Living” – doar em vida, em inglês – , que incentiva filantropos ricos a serem caridosos enquanto ainda estão vivos, em vez de doar por meio de uma fundação depois de falecerem.

“Não vejo motivo para adiar doações, quando tanto bem pode ser alcançado apoiando causas valiosas hoje”, disse ele.

Nas últimas quatro décadas, ele tem feito o máximo de doações possível. Seu objetivo? “Falir” antes de falecer. Este ano, esse sonho finalmente se tornou realidade!

Depois de separar cerca de US $ 2 milhões para a aposentadoria dele e de sua esposa Helga, Feeney doou o resto de sua fortuna por meio de sua fundação, a Atlantic Philanthropies.

Os presentes incrivelmente generosos (e anônimos) incluem US $ 3,7 bilhões para a educação, mais de US $ 870 milhões para direitos humanos e campanhas de mudança social, mais de US $ 700 milhões para várias instituições de saúde e US $ 350 milhões para sua alma mater, a Universidade Cornell, para um campus de tecnologia na cidade de Nova York.

Este mês, ele e Helga assinaram a papelada para fechar a fundação – porque ele já doou tudo oficialmente!

Ao longo do caminho, ele inspirou seus companheiros bilionários Bill Gates e Warren Buffett a criar o Giving Pledge , uma campanha que pede às pessoas mais ricas do mundo que “se comprometam a dar a maior parte de sua riqueza à filantropia ou a causas de caridade, durante suas vidas. ”

“Chuck foi a base em termos de inspiração para o Giving Pledge”, disse Buffett à Forbes. “Ele é um modelo para todos nós. Vai levar 12 anos após meu falecimento para que o meu dinheiro faça tudo o que ele está fazendo em vida.”

Mas do jeito que Feeney vê, ele simplesmente fez o que o deixaria feliz.

“As pessoas costumavam me perguntar como eu obtive minhas alegrias, e acho que fico feliz quando o que estou fazendo é ajudar as pessoas e infeliz quando o que estou fazendo não está ajudando as pessoas”, disse ele à Forbes em 2012.

Que legado incrível! Graças à filantropia de Feeney, inúmeras vidas estão sendo mudadas para melhor, e isso vale muito mais do que qualquer fortuna!

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Inspire More.
Fotos: Reprodução/Facebook, Twitter e Youtube.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.