A bióloga Nathasha Borges causou uma grande polêmica após revelar nas redes sociais que fingiu ser uma pessoa com transtorno do espectro autista para ficar sem máscara dentro do Shopping RioMar, no Recife (PE), na última quarta-feira (23). Ela ainda incentivou seus seguidores a fazerem o mesmo. As informações são do G1.

O uso da máscara contra Covid-19 é obrigatório em locais públicos de Pernambuco desde maio de 2020, incluindo shoppings. Pessoas com autismo, no entanto, estão isentas do uso da protecão, de acordo com o decreto.

No vídeo postado por Natasha no Instagram, ela relata como enganou um segurança do shopping para não precisar usar a máscara. “Teve uma hora em que o homem veio me perguntar, aquele segurancinha do carrinho fez: ‘Moça, dá para botar a máscara?’, aí eu disse: ‘Venha cá, venha cá. Não, porque eu sou autista’”, disse.

A bióloga disse ainda que entrou em uma loja e novamente fingiu ser uma pessoa com autismo. “‘Moça, a máscara’. Aí, eu disse: ‘Eu sou autista, posso não’. O primeiro fez assim: ‘Você está sozinha?’. E eu disse: ‘Estou procurando a minha mãe, ela foi ali’”.

“Pronto, está todo mundo doido, a gente se faz de doido. Pronto. Está tudo certo. Olhe, a solução de um doido é outro doido na porta. Pronto, pronto, resolvido, não usei minha máscara hoje para nada, nem para entrar no tal órgão que eu vim fazer o negócio”, disse Nathasha.

O vídeo acabou alcançamdo grande repercussão nas redes sociais e a bióloga foi alvo de muitas críticas. A Polícia Civil informou, por meio de uma nota, que Natasha “será intimada a prestar depoimento na Delegacia de Boa Viagem”.

Também por meio de uma nota, o Shopping RioMar diz ter recebido com perplexidade o vídeo e que atua “sempre pautado pelo respeito, com ações voltadas ao debate sobre inclusão”, além de ter considerado as atitudes da bióloga “lamentáveis sob diversos aspectos”.

Em outro comunicado, o Shopping RioMar declarou que “repudia quem usa de uma causa justa e coletiva para obter vantagens individuais”.

Diante da repercussão negativa do assunto, a bióloga gravou outros vídeos. “Gente do céu, a todos os autistas e suas famílias, eu não sou preconceituosa com nenhum distúrbio, tenho em minha família. Parem de aumentar!!! Quem nunca errou atire a primeira pedra, uma lástima tudo isso. Não dá!!! Todos os stories derrubados. Faltou caridade e interpretação. Não tenho problemas em pedir desculpas, e pediria, se fosse preconceituosa. Não sou!”, disse a bióloga.

Segundo o advogado Robson Cabral de Menezes, Nathasha Borges pode ter cometido, ao menos, três crimes. “Quando ela finge ser pessoa com autismo sem ser para obter benefício indevido, comete crime de estelionato […]. Várias vezes faz comentários pejorativos, ‘para doido, só outro doido, tem que se fingir de doido’ e isso também é atitude discriminatória, ferindo diretamente os direitos das pessoas com deficiência […]. Na legenda, ela incita os seguidores dela a fazerem o mesmo e postarem para ela isso aí, ou seja, ela entra em outro crime, que é o artigo de incitar publicamente a prática de crime”, explicou u o advogado.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Isto É.
Fotos: Reprodução/Redes sociais.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.