De tempos em tempos, alguma novidade no mercado de produtos infantis vira a nova febre do momento entre as crianças. A ‘bola da vez’ são os Bubble Fidget Toys, uma linha brinquedos coloridos e de diversos formatos que estão incluídos na categoria de brinquedos sensoriais por estimular os sentidos e acalmar os pequenos. O sucesso é tamanho que eles já figuram entre os itens infantis mais vendidos do mundo.

Segundo dados do Google Trends, a procura pelo termo “fidget toys” na categoria de compras têm crescido consideravelmente no mundo desde novembro do ano passado. No Brasil, o interesse pelo brinquedo apareceu mais tarde, em meados de maio de 2021, mas desde então não para de aumentar. De acordo com dados do Buscapé, site de pesquisa de preços e centro de comércio virtual, houve um aumento de 215% na busca pelos brinquedos sensoriais de maio para junho. Já no Shopee, os números são relativos a um período um pouco maior, de janeiro a junho de 2021. O aumento médio mensal foi de 160% nas vendas dos Bubble Fidget Toys, com mais de 1 200 anúncios relacionados ao item.

Os Bubble Fidget Toys, que são cobertos por bolinhas que fazem som de estouro ao serem apertadas, causam o mesmo efeito anti-­stress gerado pela manipulação do plástico-bolha. Para recomeçar a apertar as bolhas, basta virar a peça de lado. Deste modo, é possível passar longos minutos, ou até mesmo algumas horas, divertindo-se com a atividade. E é justamente esse o motivo pelo qual os Fidget Toys caíram no gosto dos pais, que conseguem ter alguns momentps de sossego enquanto as crianças permanecem entretidas estourando bolinhas.

O conceito do brinquedo traz a sensação agradável proporcionada pelo toque aliada ao descanso da visão obtidos por meio do equilíbrio de cores das peças. Outro estímulo é a realização de movimentos repetitivos, que é capaz de interromper o permanente fluxo de pensamentos, dando uma pausa à mente. Pode-se chegar a um estado de abstração tão grande que o mundo em volta parece não existir.

“Adoro ficar apertando meus brinquedos o tempo inteiro”, disse Malu Fernandes, de 9 anos à Revista Veja. “Faço brincadeiras diferentes e relaxo”, conta a menina, que divide a diversão com a irmã Melissa, de 7 anos. Além disso, há benefícios periféricos, como o desenvolvimento da coordenação motora, da noção de perspectiva, do plano cognitivo e do foco. “E por serem objetos pequenos e compactos, a criança precisa aprender a controlar sua força, o que aprimora a coordenação motora grossa e fina, ligada à precisão”, diz a pediatra Renata Aniceto, integrante da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Os Bubble Fidget Toys podem soar como novidade para muita gente, mas a verdade é que o conceito já é explorado há vários anos com brinquedos que já divertiram muitas geraçãoes, como os quebra-cabeças e cubos mágicos, por exemplo. Ambos se enquadram na categpria de Fidget Roys por terem propriedades sensoriais que auxiliam no desenvolvimento cognitivo e estimularem a conclusão por meio da repetição.

Um dos sucessos recentes entre essa modalidade de brinquedos sensoriais foi o fidget spinner, responsável por cerca de 20% das vendas de brinquedos nos Estados Unidos em 2017. Do ponto de vista de comportamento, o único alerta a ser feito em relação aos brinquedos diz respeito ao risco do consumo exacerbado. “Eles podem se tornar objetos indispensáveis e as crianças passarem a desejá-los cada vez mais, em diferentes versões”, aponta a psicóloga infantil Ceres Araujo. O impulso para a compra, portanto, deve ser refreado pelos responsáveis, até para não transformar algo bom em mais uma fonte de dor de cabeça. Depois de passar um ano e meio de pandemia trancados em casa com crianças inquietas, os pais, afinal, também merecem descanso.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Revista Veja.
Fotos:

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.