Nesta quinta-feira (6), o Corpo de Bombeiros de São Paulo se mobilizou em uma operação de resgate de 32 turistas no Pico do Marins. O caso ganhou repercussão depois que o tenente Pedro Aihara, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, fez sinceros desabafos nos stories de seu perfil no Instagram. O oficial falou em tom indigado sobre a atitude do coach que liderava as pessoas na aventura considerada perigosa.

O tenente, que não participou do resgate, refere-se em suas críticas ao coach messiânico identificado como Pablo Marçal, que fez vídeos da aventura perigosa, minimizando o perigo iminente à vida de todos os turistas que foram guiados por ele.

“Um ‘coach’ irresponsável fanfarrão coloca 60 pessoas para subir o Pico do Marins debaixo de chuva. Sem conhecimento técnico, sem suporte adequado, sem estrutura, porque, segundo ele, ‘é tudo emocional’. PS: respeito profundamente quem exerce adequadamente a profissão de coach, que definitivamente não é o caso desse indivíduo”, disse o militar.

“Não satisfeito em colocar todas essas pessoas em risco altíssimo (CBMMG já buscou muita gente sem vida no Marins em outras ocorrências inclusive), o cara ainda paga de gatão nas redes sociais e sequer cita o fato de terem sido resgatados pelos irmãos do @corpodebombeirosdapmesp e ainda aproveita para vender a imersão/curso dele como se tivesse tudo certo”, continuou o oficial.

Pablo Marçal, por sua vez, também comentou o ocorrido em suas redes sociais. Ele ressaltou que acionou a equipe de socorro apenas “por precaução”. “Decidi chamar o bombeiros porque perdemos a comunicação por rádio com o grupo que ficou na base do pico. Mas descobrimos no outro dia que estavam todos em paz com o guia deles”, escreveu em um dos Stories, agradecendo pela ajuda dos cinco bombeiros e dos três guias particulares destacados para o resgate.

As críticas do tenente Pedro Aihara não demoraram a viralizar nas redes sociais. Muitas pessoas menifestaram seu apoio às críticas do oficial.

“Para o Pedro Aihara ter usado determinados termos, é porque a coisa foi séria. Ele atuou no ‘desastre’ de Brumadinho, sempre muito calmo, tranquilizando a população e acalentando as famílias sem minimizar nenhuma dor. Um grande profissional”, analisou uma pessoa. “Muito irresponsável quem promove este tipo de ‘aventura’ e irresponsável também quem aceita ir”, comentou um internauta.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Metrópoles.
Fotos: Reprodução/Redes Sociais.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.