Traumas podem surgir das mais diversas maneiras: através da descoberta de uma doença, da vivência de um luto, de um divórcio, da constatação da infertilidade, através de um abuso sofrido, ou após sobreviver a um episódio violento. Há também pessoas que vivenciam formas mais sutis de trauma, como aqueles que estão envolvidos em processos judiciais longos e intrusivos; ou os que se sentem ameaçados com uma grande perda pessoal ou profissional; ou ainda os cuidadores e profissionais de saúde que diariamente testemunham a imensidão do sofrimento humano. Mas, independentemente do tamanho do trauma vivido, todos nós temos uma incrível capacidade de resiliência. É possível encontrar força dentro de si e florescer mesmo após terríveis circunstâncias da vida.

Muitos encontram resiliência fortalecendo o seu lado espiritual, ou se conectando mais profundamente com a família e com os amigos, ou ainda redefinindo prioridades e compromissos. Embora muitas vezes não possamos evitar contratempos, há várias coisas que podem nos ajudar a seguir em frente, como:

Compreenda as respostas normais ao trauma

O trauma ocorre quando ficamos tão sobrecarregados por conta de um evento que nos sentimos vulneráveis, fracos e inseguros. É comum questionar seu propósito na vida e sentir-se inadequado e negativo nas semanas e meses seguintes. A quebra de crenças sobre você, sobre os outros e sobre o que vai ser do futuro é uma resposta normal ao trauma e não indica um distúrbio psicológico ou fraqueza de caráter. Onde há vulnerabilidade, há força; onde há tristeza, há gratidão; e onde há perdas, há ganhos. Equilibrar sua vulnerabilidade junto com seus pontos fortes pode ser uma parte fundamental da recuperação de um trauma.

Reduza os pensamentos negativos

Todos nós às vezes temos pensamentos que, ou não são verdadeiros, ou nos fazem sentir pior sobre a nossa situação atual. Mas, quando entramos nesta vibração de pensamentos negativos, podemos acabar desenvolvendo um “pensamento catastrófico”, no qual imaginamos o pior cenário possível. E, para desafiar o pensamento catastrófico, é preciso perguntar a si mesmo se esse pensamento tem alguma evidência que o apoie. “Qual é a garantia de que isso vá mesmo acontecer?”. Use otimismo e coloque a situação em perspectiva. Além disso, exercício físico, meditação, prática de um hobbie, de uma tarefa criativa, ou apenas se dispor a ter boas conversas com outras pessoas podem ajudá-lo a reduzir a negatividade e/ou ansiedade após um trauma.

Se abra com as pessoas

Todos nós precisamos nos cercar de pessoas que nos inspiram confiança. No contato com elas, é possível expressar e validar nossos sentimentos e ainda chegar a novos entendimentos sobre as nossas questões internas, especialmente quando as circunstâncias parecem incompreensíveis.
O trauma mal desenvolvido pode levar a sofrimento físico e psicológico. Indivíduos que reprimem suas emoções tendem a expressar menos positividade e experimentar uma emoção negativa maior. Parte do processo de cura é a troca construtiva de experiências pessoais com aqueles em quem confiamos.

Construa uma narrativa de trauma

Colocar um evento traumático em palavras ajuda você a lidar, expressar emoções mistas e organizar um momento caótico em sua vida. O processo de enfrentamento inclui uma busca ativa de significado para os eventos traumáticos. Algumas perguntas como, “Por que eu?”, “Por que agora?”, “O ​​que eu posso aprender com a situação?”, são exemplos de questões que você pode trabalhar ao longo dessa busca por entendimento de tudo o que te aconteceu. Para te ajudar a formar a sua própria narrativa, você pode compartilhar sua história através de conversas francas com familiares e amigos, ou participando de fóruns na internet, de blogs ou grupos de apoio. Ao compartilhar sua história, você recupera o controle e diminui o impacto emocional do trauma. Profissionais de saúde mental podem compartilhar a co-criação de sua narrativa e te ajudar a ver os múltiplos paradoxos dentro do trauma. O significado do evento pode mudar com o tempo, assim como nossa auto-imagem e percepção de nosso próprio comportamento. Quando uma narrativa de trauma é bem construída, com uma história coerente, um significado e uma auto-imagem positiva, os níveis de sintomas pós-traumáticos diminuem.

Fortaleça os princípios e valores da vida

Fortalecer os valores que são importantes para você facilita uma identidade mais forte e abre novos caminhos para o crescimento. Em vez de se sentir bloqueado em um estado repetitivo ou na tentativa de reduzir a sua dor, você pode buscar significado e propósito.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Psychology Today.
Foto destacada: Reprodução/Próxio Parágrafo.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.