Estudos mostram que um inalante de proteínas à base de aerossol reduz o risco de óbito por Covid-19 e reduz a chance de desenvolver sintomas graves em 79% em comparação aos pacientes que recebem placebo.

Os resultados também mostraram que os pacientes apresentaram duas vezes mais chances de se recuperar totalmente do Covid-19, o que significa que não apresentavam fraqueza respiratória duradoura ou outros sintomas.

O novo medicamento chamado SNG001 é um inalante da proteína natural chamado interferon beta, e surgiu de uma pesquisa realizada na Universidade de Southampton. A empresa britânica de biotecnologia Synairgen, cofundada por três professores da universidade, testou o tratamento em 100 pacientes hospitalizados com COVID-19 (e 120 que estavam em casa) em um estudo controlado randomizado, no período de março a maio.

Quando inalado diretamente nos pulmões, o interferon beta ativa uma poderosa resposta imune. O interferon beta foi o principal candidato a proteína para os testes de tratamento, porque o Covid-19 suprime a produção natural de interferon beta do corpo, que ajuda a formar a proteção inerente contra o vírus que se espalha pelo corpo.

“Estamos todos satisfeitos com os resultados dos testes anunciados hoje, que mostraram que o SNG001 reduziu bastante o número de pacientes COVID-19 hospitalizados que evoluíram de ‘exigir oxigênio’ para ‘exigir ventilação'”, disse Richard Marsden, CEO da Synairgen.

“Ele também mostrou que os pacientes que receberam SNG001 tinham pelo menos duas vezes mais chances de se recuperar até o ponto em que suas atividades cotidianas não eram comprometidas por terem sido infectadas pelo SARS-CoV-2. Essa avaliação do SNG001 em pacientes com COVID-19 pode sinalizar um grande avanço no tratamento de pacientes com COVID-19 hospitalizados.”

O professor Stephen Holgate, um dos co-fundadores da Synairgen, descreveu-o como tendo “um enorme potencial” para restaurar a resposta natural do sistema imunológico nos pulmões de um paciente.

Ele acrescentou que o SNG001 não só ajuda os pulmões a combater o Covid-19, mas também pode se tornar um tratamento mais importante do que qualquer vacina futura que possa ter que ser reprojetada à medida que o vírus sofrer mutações no futuro.

“Reconhecendo que o SARS-CoV-2 evoluiu para evitar a resposta antiviral inicial do pulmão, nosso tratamento inalado de fornecer altas concentrações locais de interferon beta restaura a capacidade dos pulmões de neutralizar o vírus ou qualquer mutação do vírus ou co-infecção com outro vírus respiratório, como influenza ou RSV, como poderia ser encontrado no inverno se houver um ressurgimento do COVID-19 ”, observou Holgate.

O estudo da Fase II foi relativamente pequeno e os resultados não foram revisados ​​ainda. A empresa exigiria aprovação regulatória antes que o SNG001 pudesse ser comercializado no mercado, mas, se aprovado, o tratamento poderia revolucionar a maneira como as infecções respiratórias virais, como MERS, SARS e Covid-19, são tratadas.

“Nossos esforços agora estão focados em trabalhar com os reguladores e outros grupos-chave para progredir esse potencial tratamento com COVID-19 o mais rápido possível”, disse Marsden.

No mês passado, uma equipe de pesquisa da Universidade de Oxford anunciou que reduziu com sucesso o risco de óbitos entre pacientes gravemente doentes, administrando a esteróide dexametasona comumente disponível.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Good News Network.
Foto destacada: ThisisEngineering RAEng.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.