Atendendo a uma detrminação judicial, o canal ‘Bel para Meninas’ teve todos os seus vídeos removidos do Youtube nos últimos dias. Juntos, todos os vídeos somavam mais de 2 bilhões de visualizações. A decisão da justiça se deu após a polêmica criada a partir da hashtag levantada no Twitter, #SalveBelParaMeninas, em que internautas acusavam a mãe da youtuber Bel, de 14 anos, de expôr a menina a situações humilhantes ao longo dos últimos anos em vídeos para o canal. Além da remoção dos vídeos, a justiça ainda determinou que a menor não se manifeste publicamente sobre o assunto. O Ministério Púbico analisa a acusação de exposição vexatória e constrangimento. O caso corre em segredo de Justiça. O canal tinha mais de 4.000 vídeos, postados nos últimos oito anos.

Na hasthtag #SalveBelParaMeninas, que motivou a ação do Ministério Público, os internautas fizeram um compilado de vídeos que mostravam a menina de 13 anos em situação bastante desconfortável, na qual parecia contrariada por não poder usar uma mochila e passando mal ao comer uma refeição com aspecto de gororoba, entre outras cenas.

Segundo informações da Revista Veja, o Conselho Tutelar de Maricá esteve duas vezes na casa onde moram Fran, Maurício, Bel e Nina, e prepararam um relatório a partir das visitas e conversas com os envolvidos.

No canal Bel Para Meninas, os pais postaram um vídeo-desabafo na quarta, 27: “Se algum vídeo pareceu ruim ou infeliz, não foi a nossa intenção. Se publicamos, foi porque não vimos maldade de nada. Eu nunca bati nas minhas filhas, nunca coloquei minhas filhas de castigo. As minhas filhas conheceram a agressão com essa campanha covarde”, disse a mãe. “Do dia para a noite, vimos nossa vida desmoronou por conta de fake news”, falou o pai. Sobre os vídeos removidos do canal, os pais disseram: “Vamos privar todos os vídeos que elas aparecem, não vamos excluir nada até porque é a nossa vida, mas estará disponível para qualquer autoridade que queira ver e ter acesso a isso.”

A exposição da filha Bel, iniciada em 2012 por meio de um canal do YouTube então dedicado a ensinar penteados de cabelo, se transformou em um negócio muito rentável. Entre canais dos pais e das filhas, a família soma 20 milhões de inscritos. Isso fora a publicação de quatro livros, de participação em eventos e de propaganda de produtos.

***

Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Revista Veja.
Imagem destacada: Reprodução/Youtbe e Instagram.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.