Embora a perspectiva de um ninho vazio seja agridoce, muitos pais anseiam por finalmente conseguir um tempo livre para si depois que os filhos estiverem crescidos e tiverem deixado o lar. Mas, para um marido e uma esposa da Califórnia, em vez de desfrutarem de uma vida mais tranquila depois de terem criadon seus filhos, eles se viram construindo o ninho de novo – com sete filhos adotivos.

A odisséia começou em janeiro de 2019, quando Pam Willis estava navegando pelo Facebook e viu um post intitulado ‘Sete irmãos precisando de um lar definitivo’. Ela conta que aquele post “a atingiu como uma tonelada de tijolos”.

A história revelou que depois que a mãe e o pai das crianças faleceram em um acidente de carro um ano antes, os irmãos foram colocados em um orfanato. “Naquele instante, seus rostos sorridentes e doces saltaram da tela para o meu coração”, ela postou no Instagram.

Pam marcou seu marido Gary na postagem. No final do dia, estava decidido – eles queriam adotar todos eles.

“Nós sabíamos bem no fundo que essa missão estava sendo colocada diante de nós”, escreveu Pam. “Se não fôssemos nós, quem seria? Quem iria mantê-los todos juntos? Quem teria espaço para eles? Quem teria tempo, amor e paciência para lidar com seus traumas? A resposta foi clara…

“Nós querpiamos isso. Por que outro motivo tínhamos uma casa de seis quartos que estava prestes a ter seu último quarto de criança desocupado? Por que outro motivo nosso ninho que criou nossos primeiros cinco bebês estaria vazio na hora certa? Era apenas para abrir espaço para nossos novos bebês.”, disse Pam.

Dois meses após fazer o contato inicial com a agência de acolhimento, Adelino, 15, Ruby, 13, Aleecia, 9, Anthony, 8, Aubriella, 7, Leo, 5 e Xander, 4 foram entregues a Pam e Gary.

Com os medos baseados em experiências anteriores, sentir-se verdadeiramente seguro não era fácil para os filhos mais velhos. Mesmo antes de perderem seus pais, suas vidas estavam longe do ideal: os biológicos lutavam contra o abuso de substâncias, e por isso, às vezes eles eram incapazes de fornecer um ambiente estável para seus filhos.

“Eu acho que é tão difícil confiar quando tanto foi tirado de sua vida”, disse Pam Willis ao Today. “Uma noite, minha filha então com 7 anos entrou em nosso quarto. Perguntei a ela: ‘Você teve um pesadelo?’ E ela respondeu: ‘Não, eu só queria ter certeza de que você ainda estava aqui.’”

Os Willis sabiam que levaria tempo e paciência para conquistar a confiança das crianças, mas estavam dispostos a fazer o que fosse necessário. Em agosto passado, Pam e Gary oficializaram a adoção.

A cerimônia virtual contou com a presença dos filhos biológicos do casal, Matthew, Andrew, Alexa, Sophia e Sam – cujas idades variam de 20 a 32. “Foi incrível”, disse Pam. “Trouxemos uma grande tela de TV para o parque para que todos pudessem assistir, torcer e estar seguros durante o COVID. Havia muito amor.”

Embora uma segunda família não estivesse em seus planos, o desfecho da história não foi nenhuma surpresa para os Willis. “Eles eram nossos desde o minuto em que vimos seus rostos na notícia”, Pam postou no Instagram.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Good News Network.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.