Faleceu no último sábado, dia 02, João Geraldo Roveri, de 65 anos. Ele, que era conhecido por ser a voz marcante do carro de som que circulava pela cidade de Mirandópolis, no interior de São Paulo, lendo notas de falecimento, não resistiu à luta contra um infarto.

João era uma pessoa tão irreverente que, mesmo em um momento de natural tristeza para os seus familiares e amigos, fez muita gente sorrir. Acontece que ele deixou um áudio para anunciar a própria partida.

“Atenção, comunicamos nota de falecimento. Faleceu, nesta cidade, esse que vos fala. Aguardo a sua presença no velório municipal para os nossos últimos contatos. Favor, levar drinques e quitutes. E, atenção, caso não possa ir, venho lhe buscar”, diz o áudio deixado por João, em tom de brincadeira.

Ouça:

Segundo a fonoaudióloga Selena Lipe, que mora de Mirandópilis, João era uma das figuras mais conhecidas e queridas da cidade. “O João teve uma banda, uma rádio e era contratado pelas agências funerárias para fazer notas de falecimento com o carro de som. A voz de João era extremamente conhecida. Sabíamos que alguma festa seria anunciada ou ouviríamos uma nota de falecimento quando escutávamos a voz de João”, disse ela.

Ainda de acordo Selena, o áudio que circulou pelas ruas e avenidas de Mirandópolis foi gravado em 2015, antes mesmo que João descobrisse que sofria de problema no coração.

Ela conta que, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, os familiares do locutor não estranharam o desejo de João de gravar um áudio anunciando o próprio falecimento.

“O João sentiu que não estava legal no sábado e se despediu dos amigos e familiares. Ele sempre encarou a morte como uma passagem e cumpriu a missão para que veio na terra. Achei, realmente, uma lição de vida. Todos deveriam encarar a morte dessa forma”, diz a fonoaudióloga.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de NE10.
Foto de capa: Arquivo Pessoal.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.