A adoção é uma amostra do lado mais bonito e generoso do ser-humano. É oferecendo um lar amoroso a uma criança que muitas pessoas descobrem virtudes em si mesmas que sequer sabiam que tinham.

Esse foi o caso de Vanessa McGrady, uma mulher que, junto de seu marido, adotou a bebê Grace para oferecer a ela um lar estruturado, melhores oportunidades na vida e muito amor. A menina é filha biológica de Bill e Bridgett, que conheceram a mãe adotiva antes de a menina nascer.

Por meio de uma agência de adoção, Vanessa concordou em ficar com Grace depois de sofrer diversos abortos espontâneos consecutivos em suas tentativas de ter um filho do próprio ventre.

As duas famílias passaram pelo processo. Quando a menina fez dois anos em 2013, Vanessa descobriu o motivo pelo qual os pais biológicos não puderam criar a filha. Acontece que, na época, eles não tinham uma casa para morar.

Bill e Bridgett moravam em uma barraca de camping e trabalhavam o dia todo. Fazia muito frio e chovia bastante na época. Compadecida com a situação deles, Vanessa soube que teria que fazer algo a respeito. Logo, os levou para morar com ela e a filha em sua casa até se reestabelecerem.

Passado algum tempo, o vínculo entre Vanessa e os pais biológicos de Grace acabou sendo rompido e o casal teve que sair da casa de Vanessa. “Chegou um ponto em que Grace estava se sentindo muito ansiosa e chorando muito. Ela não dormia sozinha e não lidava bem com as muitas idas e vindas aleatórias dos pais biológicos, então houve um ponto em que pus um limite no convívio. E acho que isso atrapalhou muito o relacionamento”, disse a mãe adotiva.

Apesar do desfecho da história não ter sido tão positivo, Vanessa McGrady garante que não se arrepende de ter convidado os pais biológicos de sua filha para morarem em sua casa.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.