Em depoimento a um tribunal no estado da Virgínia nesta quarta-feira (04/05), a atriz Amber Heard afirmou ter sido agredida fisicamente em diversas ocasiões pelo ex-marido Johnny Depp durante crises de raiva em que o ator, de acordo com seu testemunho, se encontrava sob efeito de álcool e substâncias químicas.

A atriz texana de 36 anos é alvo de um processo movido por seu ex-marido devido a um artigo publicado em 2018 no jornal The Washington Post, no qual ela alega ter sido vítima de violência doméstica.

Segundo Heard, os casos de violência tiveram início a partir de 2012, quando o ator passou a fazer comentários depreciativos sobre ela. A atriz relata a primeira agressão ocorreu no mesmo ano. “Eu nunca vou esquecer isso”, disse ela.

A atriz descreveu Johnny Depp como alguém que poderia ser bom e carinhoso, mas que tinha explosões de raiva – e a acusava de infidelidade – quando estava sob efeito de álcool ou drogas.

“Havia acusações, acusações, e então ele explodia”, relatou a ex-esposa de Depp, acrescentando que ela recebia tapas e golpes com a parte traseira da mão. Após as brigas, a atriz afirmou que o ator “desaparecia”.

“Ele aparecia de volta sóbrio, com aparência limpa, e era simpático, se desculpava, e nós ficávamos de bem novamente.”

Heard ainda acusou o ator de fazer uma “revista íntima” após, de acordo com seu testemunho, uma briga durante uma festa com drogas em uma cidade no deserto da Califórnia.

“Eu apenas fiquei lá, parada”, relatou ela, entre lágrimas.

Em seu testemunho, Johnny Depp negou as acusações da ex-esposa. Ele disse que nunca bateu em Heard e retratou o comportamento da atriz como tendo uma necessidade de “conflito”.

O julgamento ainda deve durar ao menos mais um mês.

***
Redação Conti Outra, com informações de G1.
Fotos: Reprodução.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.