Tudo aconteceu em 2017, quando Demetra Alarcón, de 13 anos, chegou para mais um dia de aula na Raymond J. Fisher High School na cidade de Los Gatos (na Califórnia), usando um vestido de cor curto em um dia de muito calor. Porém, naquela aula, em 28 de agosto (quase exatamente 4 anos atrás), a professora chamou a sua atenção porque sua roupa curta estava supostamente distraindo os outros alunos. Dessa forma, Demetra foi forçada a ligar para o pai, Tony, que lhe trouxe uma muda de roupa diferente para substituir o vestido.

Tony Alarcon / Facebook

“Pedi a Demetra que se abaixasse e tocasse os dedos dos pés, bem na frente da administradora (…) E eu disse: ‘Não tem nada pendurado. Não há nada impróprio. Eu não entendo essa regra de vestimenta ‘(…) Mas a diretora simplesmente disse que a roupa não era apropriada (…) Ela disse que a roupa distraía as crianças”, disse Tony Alarcón ao Today.

Tony Alarcon / Facebook

Devido ao código de vestimenta, este pai teve que cobrir sua filha com roupa pesada quando a temperatura estava acima de 32 graus Celsius. Algo que parecia altamente discriminatório e sexista. Porque enquanto os meninos podem evitar o calor usando shorts e roupas mais curtas, as meninas são forçadas a usar roupas longas e quentes. Além disso, o espisódio fez com que Demetra se sentisse constrangida e chateada. Tony então decidiu iniciar uma campanha para mudar o código de vestimenta da escola.

Tony Alarcon / Facebook

“Eles a tiraram da aula na frente de todo mundo… Ela é apenas uma garota. Ela tem apenas 13 anos. Não est´pa qerendo provocar ninguém. Ela só quer se sentir confortável e frequentar as aulas e não estamos dando a ela essa oportunidade”, disse Tony.

Demetra Alarcón / Instagram

Argumentando que os pais deveriam decidir se as roupas de seus filhos são adequadas para a escola ou não, Tony Alarcón expressou preocupação com o que a professora e a administração disseram, já que dizer às meninas que suas roupas distraem os meninos pode prejudicá-las emocionalmente a longo prazo.

Tudo por causa de um manual, que proíbe shorts com interior inferior a 10 centímetros, além de tops tomara que caia e regata. Tony procurou esse código em conformidade com o do estado da Califórnia, que não menciona nada disso.

“A escola tem uma política de código de vestimenta, que é muito específica para roupas. A maior parte das roupas citadas são roupas femininas, como blusas sem mangas e alças finas (…) Você tem que defender o que é correto e é isso que eu estou fazendo ”, disse Tony Alarcón à CBS News.

Posteriormente, todos os pedidos de Tony e outros procuradores foram encaminhados para a superintendente do Distrito Escolar Unificado de Los Gatos, Diana G. Abbati , que explicou que “roupas e cuidados adequados contribuem para um ambiente de aprendizagem produtivo”, alinhando-se com a postura escolar de Demetra. No entanto, e o último que se sabe do caso, é que a Raymond J. Fisher High School organizou uma comissão para revisar o código de vestimenta no ambiente educacional.

***
Destaques Psicologia do Brasil, com informações de UPSOCL.
Foto destacada: Tony Alarcon / Facebook.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.