Nós vivemos em um mundo onde reina o egoísmo, a arrogância, a prepotência, a vaidade, entre tantos comportamentos e posturas negativas. Venho a um bom tempo estudando e aprendendo mais sobre o que é a verdadeira EMPATIA, esse nobre sentimento de você se colocar no lugar da outra pessoa, tentando ver a partir da sua ótica, sem autocentramento.

Quero nesse texto questionar um ditado que está entranhado na sociedade e só prova o quanto ainda não sabemos o que é empatia. Ele tem duas versões, a do SIM e a do NÃO, mas a ideia é a mesma.

“Faça para o outro aquilo que gostaria que fizessem para você”.

“Não faça para o outro aquilo que não gostaria que fizessem para você”.

As duas são frases absurdamente egocêntricas! Você já parou pra pensar com carinho nelas?

Nas duas eu estou olhando só para o meu umbigo, sem nem ter noção das NECESSIDADES das outras pessoas! O que elas necessitam pode e muitas vezes não será o que eu necessito.

Quase todos os dias eu lembro as palavras e um exemplo perfeito que li uma vez num texto do escritor Alex Castro. Ele citava o exemplo de uma pessoa que é masoquista em alto grau. Essa pessoa sente prazer sexual quando alguém é violento com ela. Hoje posso falar com mais propriedade sobre isso porque cheguei até a entender em consultório psicanalítico algumas mulheres que com certa vergonha já disseram que sentem vontade de transar quando o marido discute e no calor da discussão recebem um soco ou com toda força eles pressionam seus braços ou puxam os cabelos.

Acredite! Isso acontece, e bem mais do que você imagina! São padrões doentios que foram criados lá na infância, onde receberam maus tratos e principalmente, estavam inseridas em um ambiente violento, se não nos gestos, no mínimo nas palavras.

Aprofundar essas questões dá pano pra manga, teria que escrever um texto apenas focando essas questões psicológicas! Deixarei para outra oportunidade.

O que quero dizer é que o prazer de uma pessoa masoquista é ser tratada com violência. Se voltarmos agora para o ditado acima, o que acontece? Se você tratar o outro como gostaria de ser tratado, pode preparar o hospital para ela e também um mandado de prisão para você, porque o destroço vai ser grande…

Só com esse exemplo já é o suficiente para entender o quanto esse ditado está completamente errado.

Ele estaria correto se colocado assim: “Faça para o outro aquilo que ele está necessitando naquele momento…”.

Isso é de fato empatia! É muito importante o que está no final da frase. NAQUELE MOMENTO.

Posso citar um exemplo simples que está ligado ao universo em que vivo. Sou professor e amo dar aulas, me sinto energizado quando tenho a possibilidade de transmitir conteúdos de Matemática ou de Física para os alunos do fundamental ou do ensino médio.

Agora se eu me transportasse para uma comunidade extremamente pobre e sofrida nos lugares mais remotos da África. Seria um despautério chegar até essa meninada querendo ensinar Física Newtoniana entende? O que eles necessitam acima de tudo? Uma boa alimentação, roupas, uma moradia, muitas vezes alguém que os adote, porque existem milhares de crianças abandonadas nas ruas etc.

Depois que todas essas necessidades mais básicas forem atendidas, aí sim é possível pensar em ensinar Física para elas dentro de algum ambiente educacional.

O que mais me inspirou a escrever esse texto foi, na realidade, um lindo vídeo do TEDx com a Isabela Minatel intitulado “O mundo sob a perspectiva da criança”. Os insights compartilhados por ela nesse pequeno vídeo são esplêndidos. Tenho certeza que pouquíssimas pessoas pensam sobre o que ela fala a respeito da estrutura de pensamento e comportamento de uma criança!

É um vídeo que recomendo a todos, pois nos transportando para o mundo da criança, podemos entender melhor o quanto fazemos por elas aquilo que realmente queremos para nós, bem de acordo com o ditado mundialmente famoso! Mas e elas? Muitas vezes essa postura agrada aos adultos, mas faz com que elas sofram e se amargurem imensamente.

Portanto, concluo deixando esse vídeo para você assistir e aprender mais! Reflita sobre esse ditado e transforme-o na nova versão que coloquei nesse texto. Dessa forma você estará de fato exercitando a verdadeira EMPATIA…

Imagem de capa: Shutterstock/Tsomka

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Isaias Costa
Bacharel em Física. Mestre em Engenharia Mecânica e Psicanalista clínico. Trabalha como professor de Física e Matemática, mas não deixa de alimentar o seu lado das Humanas estudando a mente humana e seus mistérios, ouvindo seus pacientes e compartilhando conhecimentos em seu blog "Para além do agora", no qual escreve desde 2012.