Um estudo recente sugere que filhos únicos tem maior propensão a serem obesos do que crianças com irmãos.

De acordo com os pesquisadores da Universidade de Oklahoma, esse vínculo com a obesidade pode estar relacionado com o fato de que filhos únicos têm práticas alimentares familiares menos saudáveis do que pessoas com irmãos.

“Para fornecer educação nutricional adequada, os profissionais de nutrição devem considerar a influência da família e dos irmãos. Os esforços para ajudar todas as crianças e famílias a estabelecer hábitos e práticas alimentares saudáveis devem ser incentivados”, afirmou Chelsea L. Kracht, que liderou o estudo, citado pelo jornal The Mirror.

Para o estudo, os pesquisadores pediram às mães de filhos únicos que mantivessem registros diários da sua alimentação e da alimentação dos seus filhos. Os resultados mostraram que filhos únicos, assim como mães de filhos únicos, eram muito mais propensos a serem obesos do que as mães de filhos múltiplos e as suas crianças.

As descobertas também revelaram que os filhos únicos comem mais em frente à televisão e consomem mais bebidas açucaradas do que crianças com irmãos.

O estudo analisou apenas mães e filhos e não teve em consideração o impacto dos padrões alimentares dos pais.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Notícias ao Minuto.
Foto destacada: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.