Este evento incomum começou com a adoção de gêmeas idênticas que nasceram em 29 de março de 1985 na Coreia do Sul e, embora não se saiba a razão pela qual seus pais biológicos escolheram não exercer a parentalidade, as bebês foram adotadas por duas famílias diferentes que não sabiam da existência uma da outra.

Foi assim que Molly Sinert foi adotada por uma família judia na Flórida, Estados Unidos, enquanto sua irmã, Emily Bushnell, também foi adotada por uma família judia no mesmo país, mas no estado da Pensilvânia. Embora por 35 anos as gêmeos não soubessem praticamente nada de seu passado, a realização de testes genéticos especiais mudou suas vidas para sempre quando souberam que tinham uma irmã em algum lugar do mundo.

Por acaso, Molly resolveu fazer um teste de DNA, cujo resultado a deixou completamente perplexa. Graças à curiosidade de Isabel, filha de Emily de 11 anos, que queria saber mais sobre as raízes de sua família materna , ela também havia feito um teste de DNA e as informações dela já estavam no banco de dados. Em uma entrevista ao Good Morning America, Molly contou “quando cliquei no parente próximo, não entendi nada. Dizia ‘Você compartilha 49,96% do DNA com esta pessoa. Prevemos que ela é sua filha.

No entanto, Molly sabia que isso não era possível, pois ela nunca tivera filhos e concluiu que, se os resultados dos testes de DNA estivessem corretos, isso significava que era na verdade sua sobrinha e que ela tinha uma irmã gêmea.

Após a confirmação dos resultados, as gêmeas passaram a conversar todos os dias e trocaram fotos e histórias sobre suas vidas, percebendo que tiveram muitas semelhanças na sua educação, pois as duas foram adotados nos Estados Unidos por famílias judias, as duas tiveram uma gata preta na infância, as duas usaram vestidos semelhantes e penteados iguais para o baile, entre outras coincidências.

Emily contou que, ao saber que tinha uma irmã gêmea, sentiu que “um vazio foi imediatamente preenchido em meu coração. Embora eu tenha membros da família que me amam e me adoram e que são absolutamente maravilhosos, sempre houve um sentimento de desconexão. Descobrir que tinha uma irmã gêmea idêntica deixou tudo muito claro. Tudo faz sentido”.

Finalmente, em 29 de março de 2021, Emily e sua filha Isabel viajaram para a Flórida para se reunir com Molly e, pela primeira vez, as gêmeas celebraram seu aniversário juntas. Em entrevista ao Good Morning America, Emily mencionou: “Foi o momento mais feliz da minha vida. Posso dizer isso com toda a honestidade. Eles me roubaram os últimos 36 anos de uma vida que eu poderia ter tido com minha irmã gême. Mas, ao mesmo tempo, estou muito animada com o que nos espera. ”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.