Com o distanciamento social e a interação face a face limitada, namorar na época do coronavírus provou ser um desafio para todos, mas quando o dardo de Cupido atingiu uma dupla de espirituosos nonagenários, eles se recusaram a dizer não ao amor.

Quando John Shults, um viúvo duas vezes, conheceu Joy Morrow-Nulton, que também havia perdido dois cônjuges anteriores, ele sabia que estava apaixonado – e o sentimento era mútuo. Infelizmente, parecia que a pandemia estava conspirando para manter os possíveis amantes separados.

Embora tenha demorado um pouco, o casal do interior do estado de Nova York continuou a perseguir sua atração mútua, apesar dos protocolos de segurança do COVID-19 no abrigo local. “Ela valeu a pena. Foi uma dor de cabeça, no entanto.”, brincou John.

Por fim, depois de receber as vacinas, e com o afrouxamento das restrições, a dupla finalmente conseguiu voltar ao namoro. Quanto mais tempo eles passavam juntos, mais forte seu vínculo crescia, até que John, sendo o cavalheiro que é, finalmente a pediu em casamento.

Joy aceitou. Quando o casal se casou em uma cerimônia recente, a noiva e o noivo tinham 95 anos.

Nas sagas românticas tradicionais, o herói bonitão e a heroína corajosa devem enfrentar uma série de obstáculos antes de finalmente chegarem ao seu final feliz. Para John e Joy, não precisava ser jovem ou atraente para encontrar o amor verdadeiro, mas ser corajoso com certeza valeu a pena.

Quando questionado sobre qual era a chave para o romance de sucesso de seu pai e da nova madrasta, o filho de Shults, Pete, tinha uma resposta pronta: “Perseverança”, disse ele. “Eles se ligavam todos os dias. Eles encontraram uma maneira de manter em contato. Eles fizeram o que foi preciso.”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Good News Network.
Foto: Reprodução.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.