Quando o novo primeiro ministro da Finlândia, Sunna Marin, propôs reduzir a jornada de trabalho para seis horas, com quatro dias úteis de trabalho, com o mesmo salário; o mundo teve muito sobre o que conversar.

Na Espanha, o acordo governamental entre o PSOE e Podemos faz referência específica à necessidade de alcançar um pacto social e político de racionalização de cronogramas, além de desenvolver uma lei de usos e horários.

O que acontece no Japão?

Bem, tudo começou como um experimento conduzido pela empresa Microsoft no Japão e a idéia era simples: dê a seus funcionários toda sexta-feira de graça.

Durante anos, as empresas confundiram produtividade com horas trabalhadas. Isso significa que muitos pensam que quanto mais horas de trabalho tiverem, mais produtivos serão. No entanto, isso não melhora a produtividade da empresa ou dos funcionários, pelo contrário, eles se esgotam mais rapidamente.

Por esse motivo, o Japão optou por um modelo de produtividade para empresas privadas, no qual foi sugerido reduzir horas e dias, mantendo o salário dos funcionários.

A iniciativa visa facilitar que o funcinário concilie faília e trabalho, oferecendo-lhe mais dias de folga.

Pode parecer uma idéia ou proposta altruísta por parte da empresa, uma vez que, com os modelos de trabalho atuais, é comum que se pense que a empresa poderia reduz margens de lucro e se prejudicaria economicamente. Surpreendentemente, aconteceu o contrário: a gigante da tecnologia teve um aumento nas vendas de quase 40% durante o experimento.

Para tornar isso possível, foi realizado todo um programa de otimização da produtividade. Por exemplo, as reuniões foram definidas para um limite de 3 minutos e os funcionários de escritórios distantes foram incentivados a fazer seu trabalho remotamente, em vez de viajar para as instalações para economizar tempo.

Além de ficar fechada por mais um dia, a empresa também conseguiu economizar em outros recursos, como eletricidade.

É possível implementar o plano de quatro dias em outros países?

No momento, existe uma empresa em Jaén, pioneira na implementação da jornada de trabalho de quatro dias por semana. A Software Delsol foi a primeira a aplicar esta jornada de trabalho que não possui redução salarial e também busca aumentar a produtividade.

A iniciativa promove maior bem-estar no trabalho, melhor atendimento ao cliente e também maior produtividade. O grau de satisfação do cliente com a empresa é 9,28, uma nota considerada excepcional.

Outras vantagens desta revolucionário mudança na jornada de trabalho são a economia de energia e a redução da poluição, pois há menos viagens de carro.

Além disso, a empresa considera que, encurtando a jornada semanal de trabalho, obtém-se um retorno positivo com a redução do absenteísmo, a lealdade da força de trabalho e a atração de talentos para sua equipe de trabalho.

Benefícios de uma jornada de trabalho menor.

  • Trabalhadores mais felizes e clientes mais satisfeitos.
  • Mais empregos.
  • Mais produtividade, mais concentração na posição.
  • Menos licença médica, menos estresse.
  • Mais tempo livre, mesmo salário, mais tempo para consumir e revitalizar a economia.

O problema do estresse afeta os trabalhadores, especialmente os japoneses, onde quase 200 pessoas falecem a cada ano, vítimas de Karoshi, uma doença ligada a exaustivas jornadas de trabalho. Por esse motivo, a campanha chamada “Sexta-feira Premium” foi lançada pelo governo, que incentiva os trabalhadores a sair mais cedo na última sexta-feira do mês. O que você acha da iniciativa?

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.