Existem pessoas que, quando estão apaixonadas, são capazes de fazer todo tipo de loucura, inclusive tatuar o nome do parceiro. E sabe-se que isso pode ser problemático, pois como tudo na vida, os relacionamentos às vezes não são para sempre.

O complicado é que as tatuagens são obviamente permanentes. Não é como um relacionamento, que pode terminar por qualquer motivo. Portanto, essas pessoas enfrentam uma situação difícil depois quw terminam seu relacionamento, pois ainda carregam em seus corpos a lembrança daquela pessoa que gostaria de esquecer.

Quando as pessoas fazem tatuagens e se arrependem depois é comum recorrerem às coberturas, que são novas tatuagens com o mesmo design no mesmo espaço em que a tatoo antiga ocupava. Isso é o que várias pessoas no Vietnã têm feito, mas de uma forma única: desenhar um caixão para cobrir os nomes dos ex-parceiros.

Um desses jovens ex-paixonados é Xa Luan, que disse à mídia local que tatuou tum caixão em sua antiga tatuagem que dizia “Minha princesa”, junto com o nome de sua ex-companheira e a data em que iniciaram o relacionamento.

O jovem disse que “fiquei muito triste depois de terminar com ela e até agora não consegui escapar dessa dor (…) Depois de me acalmar por um tempo, fui ao estúdio de tatuagem que tinha visitado antes e fiz outra tatuagem”. Foi quando o caixão foi desenhado para que ele pudesse “esquecê-la logo e começar uma nova vida”.

Muitas vezes, ter o nome de outra pessoa tatuado pode trazer problemas em um novo relacionamento, já que essa outra pessoa pode se sentir incomodada ou desconfortável.

Depois que seu caso ficou conhecido, foi revelada a história de outro jovem da mesma região que também tinha o nome de sua ex-companheira tatuado no peito. Após o término do relacionamento, ele tatuou um caixão com o mesmo design para cobrir seu antigo amor.

Uma maneira curiosa de “enterrar o passado”, não acham?

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.
Fotos: Xa Luan.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.