A modelo e musa fitness Juju Salimeni conversou com o jornalista Leo Dias nesta quinta-feira (31) e falou sobre o fim do seu casamento com Felipe Franco, a sua solteirice, e sobre como a religião a ajudou a superar a depressão e a Síndrome do pânico.

Adepta da Umbanda, a modelo diz que foi a fé que a ajudou a passar por uma depressão e síndrome do pânico: “Sim, me ajudou muito!”. “Na verdade, no fundo todo mundo tem curiosidade sobre umbanda e candomblé, tem interesse, mas infelizmente a ignorância no Brasil ainda é muito grande, muita gente leva para o caminho ruim, para a imagem ruim. É difícil você desmistificar, então nunca falei, prefiro não falar sempre, mas nunca nego. Sou filha de orixá, eu sou feliz assim. Acho que hoje tem muitas artistas que estão falando sobre isso: a Anitta, Ivete… e isso eu acho muito legal. Na fase complicada pela qual passei foi essencial. Deus está em todas as religiões, Deus está em todos os corações bons, em todo mundo que quer fazer o bem e não importa qual é a religião. Eu sou desse pensamento e, através da minha religião, Deus me salvou.”.

Sobre os preconceitos que os demais têm com suas crenças, Juju cita: “As pessoas [que têm o preconceito com a religião] falam que fazem trabalho para o mal, coisa ruim. Muita gente pensa que é do mal…”.

“[E não fazem]. Não na minha, não na umbanda, não no candomblé, no espiritismo, não! A maldade está em outro tipo de segmento, em pessoas que nem acreditam em Deus. É outra história, não existe maldade nessas religiões, não existe. É tudo caridade, é tudo ajuda ao próximo, e eu quero muito que as pessoas possam entender. Infelizmente tem muita intolerância, tem muita gente que não respeita! Frequento outras igrejas também, como a católica, já fui à igreja evangélica e gosto de tudo que me faça sentir bem.”.

Juju também falou sobre o fim do casamento com o fisiculturista Felipe Franco: “Estou feliz. Estou numa fase nova como se eu tivesse renascido, é tudo novo, mas eu jamais vou falar que a minha fase antiga do relacionamento foi horrível, afinal foram 14 anos juntos! Tudo foi um aprendizado, tiveram momentos maravilhosos, tiveram momentos muito complicados… como todo relacionamento, né? Não existe só perfeição, e chegou uma fase em que eu precisava seguir sozinha, que eu precisava sair do casulo. E hoje estou assim, realizada, plena, tranquila e feliz. Realizada tanto pessoal quanto profissionalmente”.

“Eu não estava bem comigo, passei por um problema de depressão, então eu não estava bem comigo mesma! Quando você não se encontra e não está bem com você mesma, não tem como você fazer a outra pessoa feliz. Hoje eu enxergo isso! Então, hoje eu estou cem por cento preparada para viver outro relacionamento, ou não, ou ficar sozinha, solteira… viver a vida!”.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Portal do Holanda.
Foto destacada: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.