Há pais que, por trazerem como bagagem a criação rígida que tiveram, acabam transferindo isso para a educação de seus próprios filhos, podendo ser extremamente severos diante dos erros dos pequenos.

Apesar de a parentalidade nunca ser algo fácil, esta maneira de educar e transmitir valores encontra muita resistência por parte de alguns pais e especialistas, que entendem que a melhor, maneira de educar é o diálogo.

Um caso desse tipo aconteceu nos Estados Unidos. Uma mulher chamada Katerina tem sido muito criticada nas redes sociais após postar um vídeo em que é vista punindo severamente o seu filho por não ouvir ou prestar atenção nas aulas.

Katerina forçou seu filho de 5 anos a correr na rua sob calor extremo de quase 40 graus Celsius. “Meu filho de cinco anos não quer prestar atenção às aulas (…) Ele faz barulhos chatos, não escuta, acha que não precisa se acalmar quando vem do parquinho”, diz ela no vídeo.

No registro você pode ver a mulher com seu filho pequeno correndo pela rua. “ Vamos rodar em 40 graus de temperatura”, diz ela.

No meio da maratona improvisada, ela pergunta se ele vai se comportar na escola, ao que ele responde afirmativamente. “Não vamos bater, não vamos chicotear, vamos disciplinar, vamos ver como ele vai se comportar amanhã”, finaliza a mulher.

A postagem, que ela posteriormente removeu de seu TikTok, rapidamente viralizou e foi preenchida com comentários de usuários criticando as ações da mulher. Alguns explicaram que a criança possivelmente tinha dificuldades de aprendizagem e a mãe, ao invés de apoiá-lo, fez com que ele se sentisse envergonhado.

Porém, a mãe se defendeu, dizendo que já haviam tentado outras estratégias para que o filho se comportasse melhor e prestasse atenção na escola, mas que não haviam funcionado. “Não é da conta de ninguém, mas estou criando um homem”, ela encerrou.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UPSOCL.
Fotos: TikTok @ kat.rodriguez13

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.