Na inédita segunda temporada da série documental “Todos os Cantos” – cuja primeira temporada está disponível pelo Globoplay – a cantora Marília Mendonça manifestou a vontade de diminuir o ritmo frenético dos shows e revelou que estava fazendo terapia. À época, ela tinha 23 anos e estava grávida de seu primeiro filho.

“O acidente aconteceu pouco antes de ela fazer o que queria”, conta Alessandro Rossi, programador do Circo Voador e roteirista do projeto.

Rossi não pertence ao mundo do sertanejo, mas conta que o contato próximo que teve com ela e a equipe da turnê mostrou que Marília “era muito maior que um gênero”. Mais que isso. Segundo ele, ela se mostrava progressista dentro do contexto musical conservador do sertanejo:

“Ela fazia o que queria, do jeito que queria. Apesar de jovem, era muito firme. Uma representante genuína de uma geração e tinha uma influência tremenda. Os fãs dela não eram só fãs, eles se sentima representados por ela.

A cantora tinha a intenção de frear o ritmo frenético de shows. Enquanto isso não acontecia, contava com o apoio de todos que a cercavam na estrada:

“Era uma menina muito nova, que fazia o que gostava, cercada de uma equipe muito carinhosa. A família é muito ligada, o tio (Abicelí Silveira Dias Filho, que estava no avião e morreu junto com a sobrinha Marília) a acompanhava para fazer companhia. Era a família ao lado dela, companheiro de copo nos momentos de descontração.”, disse.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Gente IG.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.