A farmacêutica brasileira Sanofi Medley anunciou que está recolhendo, de maneira voluntário e preventiva, todos os lotes de medicamentos com o princípio ativo Losartana. Este tipo de medicação é indicado para o tratamento de pressão alta (hipertensão arterial) e insuficiência cardíaca. Segundo a farmacêutica, a retirada do produto é uma “medida de precaução devido à presença de impurezas mutagênicas nos produtos”. O remédio deve voltar ao mercado com o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) ajustado.

Por meio de uma nota, a Sanofi Medley disse que o recolhimento é uma medida de precaução e, até o momento, não existem dados para sugerir que o produto que contém a impureza causou uma mudança na frequência ou natureza dos eventos adversos relacionados a cânceres, anomalias congênitas ou distúrbios de fertilidade. Ainda segundo a farmacêutica, não há risco imediato em relação ao uso dessas medicações contendo losartana.

Serão recolhidos os seguintes remédios com Losartana:

Valtrian® HCT (losartana potássica + hidroclorotiazida) 50mg + 12,5mg
Valtrian® HCT (losartana potássica + hidroclorotiazida) 100mg + 25mg
Valtrian® 50mg (losartana potássica)
Valtrian® 100mg (losartana potássica)
O recolhimento não apresenta nenhum custo para o paciente. Quem tiver um destes remédios deve ligar para o SAC da Medley 0800-703-0014 (segunda a sexta-feira, das 08h00 às 18h00) para agendar a coleta da medicação.

A Sanofi Medley destaca, entretanto, que a interrupção abrupta do tratamento com produtos contendo Losartana pode estar associada a riscos potenciais para a saúde dos pacientes. O risco para a saúde de descontinuar abruptamente estes medicamentos sem consultar os seus médicos ou sem um tratamento alternativo é maior do que o risco potencial apresentado pela impureza em níveis baixos.

“Dados da literatura mostram que para a insuficência cardíaca o Losartana aumenta a sobrevida do paciente. Portanto, ele é um remédio de uso essencial, principalmente para os pacientes que também são diabéticos, porque o medicamento também protege os rins.”, disse ao Globo João Vicente da Silveira, cardiologista do Hospital Sírio Libanês.

Para o médico, o recolhimento é motvo de preocupação, pois o medicamento é amplamente utilizado por pacientes hipertensos. No entanto, ele pode ser substituído por outros remédios anti-hipertensivos.

“O mais prudente neste momento é que os pacientes entrem em contato com seus médicos para buscar orientação se trocam esse remédio por outro ou se continuam com ele”, indica o cardiologista.

Há outras farmacêuticas que produzem remédios com o princípio ativo Losartana, cuja indicação é para o tratamento de doenças cardíacas.

De acordo com a Sanofi Medley, o recolhimento dos medicamentos Losartana acontece em consonância com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e em conjunto com órgãos regulatórios de outros países. Ou seja, os remédios estão sendo retirados das prateleiras de outros países além do Brasil.

A farmacêutica relata em um comunicado enviado aos médicos que a Direção Europeia para a Qualidade de Medicamentos e Cuidados de Saúde (EDQM) exigiu uma análise para identificação da possível presença de uma impureza azido (“LADX”) nos remédios contendo losartana. E que, como medida de segurança e prevenção, a fabricação e a liberação desses produtos nas fábricas da Sanofi Medley foram suspensas até novas investigações.

Segundo a empresa, não foram recebidos relatos de eventos adversos que pudessem associar o uso de medicações com Losartana ao surgimento de problemas de saúde causados por mudanças no DNA de células.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de O Globo.
Foto destacada: Reprodução/Sanofi Medley.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.