Na semana passada, uma adolescente intoxicou quatro colegas de 12 a 13 anos com medicamento tarja preta em uma escola de Campina Grande, na Paraíba. O remédio, que é de uso controlado, foi oferecido pela menina sob o argumento de que ele combate sintomas como dor de cabeça e cólica.

Algum tenpo depois, a professora do 7º ano percebeu que alguns alunos apresentavam comportamento estranho e relataram sintomas como sonolência, calafrio, tontura e dor de cabeça.

A Secretaria de Estado da Educação (SEE) da Paraíba disse ao UOL que o caso ocorreu na última quarta-feira (18).

Questionadas pela direção da escola, as alunas alegaram que haviam ingerido o medicamento oferecido por uma colega. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e prestou os primeiros socorros às adolescentes.

Após examinarem as estudantes, os socorristas concluíram que não seria necessário encaminhá-las para atendimento hospitalar. Os pais foram acionados e levaram as jovens para casa.

A escola convocou as famílias envolvidas no episódio para uma reunião, e o caso segue acompanhado pelo Conselho Tutelar. Não foi informado se a aluna que ofereceu o medicamento sofreu qualquer tipo de punição.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Yahoo!
Imagem de capa: Reprodução.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.