Todo mundo está sentindo falta de alguém em meio à pandemia de coronavírus. Para Romeo Cox, essa pessoa especial é sua avó Rosemary.

Depois que sua família se mudou de Londres, Inglaterra, para Palermo, Itália, o garoto de 10 anos ficou um ano e meio sem ver Rosemary. E por causa de restrições da quarentena, ele não poderia voar para uma visita em 2020. Então ele decidiu partir em uma jornada épica de três meses para receber um abraço de sua amada “vovó”.

Determinado a ver sua avó, o garoto lançou a ideia de fazer uma caminhada de volta a Londres para sua mãe Giovanna e seu pai Phil.

Eles não gostaram muito disso no início, mas Phil, jornalista e documentarista, acabou concordando em fazer a viagem com o filho.

Em junho, a dupla partiu em um barco da Sicília para Nápoles. Embora a viagem durasse mais de 2.735 km, eles não dirigiram, optando por caminhar, pedalar e usar um barco quando necessário.

Eles acordavam às 4h30 todas as manhãs e caminhavam cerca de 19 quilômetros por dia, dormindo em albergues, conventos, casas de estranhos ou diretamente sob as estrelas.

Claro, não foi fácil. Além das caminhadas cansativas, Pedro, o burro carregando seu equipamento, às vezes se recusava a ir mais longe. Eles também tiveram um desentendimento com uma matilha de cães selvagens, da qual felizmente conseguiram escapar.

O tempo todo Romeu sabia que valeria a pena quando ele finalmente se reencontrasse com sua avó.

Dito isso, a jornada não era apenas para chegar a Rosemary. Romeo queria chamar a atenção para as lutas que os refugiados enfrentam e arrecadar dinheiro para apoiá-los ao longo do caminho.

“Eu estava passando pelos penhascos tentando chegar ao nosso albergue em Calais e encontramos um menino sudanês tentando cruzar de Calais para encontrar sua família e seu irmão no Reino Unido e ele não foi autorizado”, disse Romeo à BBC. “Achei injusto eu conhecer minha família e ele não.”

Romeo tem ligção íntima com a luta dos rfefugiados. Quando sua família se mudou para Palermo, Romeo não falava italiano e se sentiu deslocado. Mas as crianças refugiadas que ele conheceu lá o ajudaram a se adaptar.

Um deles, um menino de Gana chamado Randolph, tornou-se o melhor amigo de Romeu. Foi isso que o inspirou a criar uma campanha de arrecadação de fundos para tornar o aprendizado online disponível para refugiados locais e outras crianças necessitadas. Até agora, ele arrecadou mais de $ 22.000 para adquirir tablets e WiFi!

Em setembro, Romeo e Phil chegaram ao seu destino. Depois de um período de quarentena de 14 dias, Romeu finalmente recebeu o abraço que tanto esperava!

“Corri pela estrada até o carro [de Rosemary], chamando seu nome”, disse Romeo. “Demos o melhor e mais longo abraço. Ela é tão especial para mim.”

Romeu e seu pai já voaram para casa, mas ele nunca vai esquecer sua incrível jornada – ou como ele fez sua avó feliz! Além do mais, ele ainda está arrecadando dinheiro para crianças carentes!

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Inspire More.
Fotos: Reprosução/Facebook.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.