O bullying não é um problema novo. A prática de ridicularizar ou agredir física e psicolóigicamente uma outra pessoa é frequente em todas as sociedades, e especialmente presente na realidade de crianças e adolescentes. Embora o assunto seja cada mais dicutido, a situação não parece melhorar.

Foi pensando nisso que Matthew Bandeira resolveu investigar o bullying mais a fundo. Com a ajuda de amigos, ele desenvolveu um experimento social que consiste em testar a reação das pessoas diante de uma explícita cena de bullying.

Para o teste, ele reproduziu a mesma cena em diferentes cenários. A situação envolvia um grupo de três meninos mais velhos e um garotinho com uma bola e uma mochila.

Sua única preocupação era que a cena acontecesse perto de um adulto. Sua intenção era descobrir se outras pessoas, sem parentesco e sem conhecimento da experiência, agiriam para defender uma criança que estivesse sendo vítima debullying.

Como o próprio Matthew explica em seu vídeo, muitos jovens estão sofrendo bullying hoje em dia. Só nos Estados Unidos, país onde o experimento foi realizado, cerca de 160.000 alunos deixam de ir à escola todos os dias por não conseguirem lidar com o bullying. Os índices são assustadores!

Diante deste cenário, Matthew quis saber, será que as crianças sofrem bullying também na presença de adultos ou esse tipo de intimidação só acontece fora do campo de visão das pessoas que estão por perto?

A primeira pessoa a passar pelo teste de Matthew foi uma mãe que supervisionava seus próprios filhos no parquinho. Quando um dos meninos mais velhos se aproximou da vítima e atirou sua mochila para longe de forma agressiva, a mulher reagiu rapidamente. Sem hesitar, ela entrou no meio da confusão e foi direto perguntar aos garotos o que eles estavam fazendo. A mãe não parou por aí, e ensinou a eles a diferença entre brincar e praticar bullying.

Mas seria essa mãe uma exceção? Outras pessoas agiriam da mesma forma?

Matthew fez o teste mais duas vezes, agora com dois adultos imersos em seus aparelhos eletrônicos. Se estavam prestando atenção no celular e no tablet, será que os dois chegariam a perceber o bullying? Ou será que ficariam tão concentrados em sua tecnologia personalizada que não veriam o que estava acontecendo?

Veja o vídeo:

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Apost.
Foto destacada: Reprodução/Youtube.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.