O menino Hassan Al-Khalaf, de 11 anos, diz ter se agarrado à esperança quando atravessou sozinho a fronteira da Ucrânia com a Eslováquia para escapar da invasão russa em seu país.

Ele chegou à Eslováquia no início de março e foi chamado de “herói” após fazer uma longa viagem de trem e a pé a partir de Zaporizhzhie, no sudeste da Ucrânia.

“Eu ganhei minha esperança da minha mãe querendo que eu fosse”, contou Hassan em uma entrevista antes de participar de uma manifestação pró-Ucrânia na capital eslovaca, Bratislava, nesta sexta-feira (11).

“Minha esperança me guiou pelo caminho”, afirmou ele por meio de um intérprete.

A mãe viúva de Hassan não podia deixar a avó dele em casa, então ela enviou o menino sozinho na viagem de mais de 1.000 km para a Eslováquia, onde seu irmão mais velho estuda. Ele chegou com nada além de uma sacola plástica, passaporte e um número de telefone escrito na mão.

“Isso traz lágrimas aos nossos olhos. Este é o maior herói da noite passada”, escreveu a polícia eslovaca no Facebook em 5 de março, depois que Hassan surgiu sozinho na fronteira.

O pequeno Hassan é um entre os mais de 2,5 milhões de refugiados que partiram da Ucrânia, principalmente para a Polônia, mas também com destino a Eslováquia, Hungria e Romênia, para chegar à União Europeia.

Ao menos 176 mil refugiados cruzaram a fronteira da Eslováquia em um êxodo que a Organização das Nações Unidas chamou de a crise de refugiados que mais cresce na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

“Quero agradecer muito aos voluntários, porque eles estão ajudando pessoas que nem conhecem”, disse Hassan, que tem esperança de reencontrar sua mãe. “Acredito que haverá um final feliz.”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de R7.
Foto destacada: REUTERS.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.