Isenção de responsabilidade: o conteúdo deste texto refere-se apenas a relacionamentos não abusivos.

A perspectiva de frequentar uma terapia de casal pode ser intimidadora para muitas pessoas, e há várias razões para isso. Por um lado, a terapia de casais envolve vulnerabilidade. Imagine sentar-se lado a lado com seu parceiro enquanto ambos compartilham os detalhes mais particulares de sua vida e de seu relacionamento com um estranho.

Outra razão é a imagem mental sombria associada a ela. A terapia de casais carrega a má reputação de ser o lugar onde os relacionamentos morrem; portanto, tomar uma decisão de procurar um terapeuta de casais pode parecer uma admissão de que o relacionamento pode estar dando seus últimos suspiros. A terapia de casais também pode trazer à tona a imagem da cova dos leões para algumas pessoas, com pelo menos um parceiro se sentindo resistente à ideia por temer que o parceiro ou o terapeuta (ou ambos) os veja como o único problema no relacionamento e os faça parecer o vilão da história.

Além disso, há um sentimento de inadequação e vergonha que pode surgir para alguns casais, que se criticam por serem incapazes de resolver um problema por conta própria.

Em suma, é facilmente compreensível que as pessoas não tenham pressa em experimentar a terapia de casal. Neste texto, daremos uma olhada em alguns dos mitos que cercam a terapia de casais e tentaremos descompactá-los.

“O divórcio ou a separação devem estar no horizonte para que as pessoas façam terapia de casais”.

Os casais têm várias razões para ir à terapia. É verdade que alguns parceiros estão prestes a se separar quando se encontram com um terapeuta. De fato, existem casais que trabalharão com um terapeuta para terminar seu relacionamento da maneira mais saudável e eranquila possível. Para outros casais em terapia, um ou ambos os parceiros não sabem ao certo se desejam que o relacionamento continue. Em um estudo, este foi o caso de cerca de 20% dos casais. Em outro estudo, 14% dos casais começaram a terapia para descobrir se poderiam salvar o relacionamento ou se deveriam se separar.

Vários outros casais passam pela porta do consultório por razões diferentes, mas igualmente válidas. Por exemplo, uma equipe de pesquisadores descobriu que cerca de 46% dos casais queriam lidar melhor com os conflitos, 30% queriam restaurar seu vínculo e 25% dos casais achavam que estavam indo bem e só queriam melhorar parte de sua união.

Da mesma forma, outro grupo de pesquisadores descobriu que 57% dos casais esperavam aumentar sua proximidade ou sentimentos um pelo outro, e a mesma proporção queria melhorar a maneira como eles interagem e conversam. Além disso, 32% queriam resolver problemas com seus filhos, 28% procuravam melhorar sua conexão física, 15% eram motivados pelo carinho pelo parceiro e 10% queriam se concentrar em manter os pontos fortes de seu relacionamento.

O que esta pesquisa nos diz é que não apenas os casais têm diversas razões para procurar terapia, mas também há pessoas que a veem como uma maneira de fortalecer seu relacionamento e serem os melhores parceiros que podem ser. Em outras palavras, os relacionamentos não precisam estar em grave perigo ou ter problemas significativos para que os parceiros queiram experimentar a terapia de casais.

“Se eu for para terapia de casais, vou ser culpado e atacado verbalmente. Não, obrigado.”

Embora não haja garantias de que isso não vá acontecer, é possível dizer que pelo menos não deveria. É importante que os casais sintam que mantêm um vínculo terapêutico caloroso com o médico, não apenas para benefício próprio, mas também para o benefício de seu relacionamento.

Pesquisas sugerem que, quando os casais têm uma conexão mais forte com o terapeuta, isso prevê uma melhora em seu relacionamento romântico. Em outras palavras, embora seu terapeuta possa não necessariamente concordar com você e solicitar que você e seu parceiro façam mudanças, você deve se sentir ouvido e apoiado, não verbalmente atacado ou tratado como o vilão no relacionamento.

“Não devemos ter que fazer terapia de casais. Deveríamos ser capazes de consertar isso sozinhos”.

A opção de pedir ajuda é um triunfo da força. Pode ser difícil estender a mão em vez de seguir em frente e seguir sozinho, especialmente para casais que acham que devem melhorar o que os está incomodando sem ajuda externa. Um desafio com a noção de que os casais devem resolver os problemas de relacionamento por si mesmos é que ele não está relacionado ao funcionamento dos relacionamentos humanos.

Por exemplo, nem todas as dinâmicas de relacionamento são claras e evidentes, especialmente para as pessoas que estão dentro do relacionamento, portanto, às vezes, o que parece ser o problema não é o problema real. É como lutar contra um boxeador invisível. Como os casais devem lidar adequadamente com a situação quando não podem vê-la, sem culpa alguma? Um terapeuta de casais, alguém que tem uma visão de fora do relacionamento, pode ajudar os casais a ver o relacionamento de uma perspectiva diferente e interagir de uma maneira diferente.

Outro desafio com essa noção é que ela não é mapeada para outros tipos de cuidados que os seres-humanos recebem. Quantos de nós procuraram ajuda de um médico, nutricionista, personal trainer ou coach de trabalho sem hesitar? Nem sempre pensamos que devemos ser capazes de malhar, comer bem, melhorar nossas carreiras ou cuidar de nossa saúde por conta própria. Os relacionamentos devem ser diferentes?

“Por que ir à terapia de casais? Não vai funcionar.

Para sermos justo, não há como garantir que um relacionamento melhore a partir da terapia de casal. Isso faz parte do risco – as coisas podem não melhorar.

Ao mesmo tempo, às vezes a razão pela qual o casal não consegue acredtar que o relacionamento pode mudar é porque simplesmente não descobriram o que funciona, e não porque sua situação é irreparável. E existem abordagens que funcionam, como a terapia emocionalmente focada (EFT), que tem forte apoio da pesquisa científica. Portanto, mesmo que seja possível que a terapia de casais possa não ajudar, ela pode surpreender os casais com uma significativa melhora nos relacionamentos.

Certamente, é perfeitamente correto decidir que a terapia de casais simplesmente não parece atraente, interessante ou relevante. Mas para os casais que podem tentar, mas não o fazem, devido a alguns dos obstáculos de que falamos, espero que este texto ofereça uma pequena ajuda para lidar com as barreiras desanimadoras que os casais às vezes veem em seu caminho.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Psychology Today.
Foto destacada: Reprodução/Ciclo Ceap.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.