Adut Akech tem apenas 19 anos, mas sua bagagem é de alguém que já viveu várias vidas. Ela nasceu no Sudão e passou os primeiros anos de vida no campo de refugiados de Kakuma, na fronteira entre o Quénia e o Uganda. Hoje, desafiando todas as probabilidades, é uma das modelos mais conhecidas da atualidade. Seu nome esteve em maior evidência ultimamente após ela ter se tornando o novo rosto da marca Chanel. E Adut usou essa notoriedade adquirida para apontar o que seria, de acordo com ela, um racismo por parte de uma revista australiana, que tinha a intenção de tê-la no receio e na capa de sua edição de agosto.

Instagram/@adutakech

Em preparação para a Semana de Moda de Melbourne, que começa na Austrália nesta quarta-feira, 28, a revista WHO Magazine publicou uma entrevista com a jovem de 19 anos, mas ilustrou o conteúdo com a foto de outra profissional negra. Decepcionada, a top model compartilhou um desabafo, dizendo que a situação não teria ocorrido com uma pessoa branca.

Na própria entrevista para o periódico local, Adult discorreu sobre moda e carreira, mas também destacou a forma como a sociedade enxerga os refugiados e os negros. Contudo, no lugar de Adut Akech, a revista colocou uma imagem da modelo Flavia Lazarus.

Instagram/@adutakech

No Instagram, Adut Akech disse que ficou pensando durante dias sobre como abordar o episódio. “Isso me chateou, me deixou com raiva, me fez sentir muito desrespeitada e, para mim, é inaceitável e indesculpável sob quaisquer circunstâncias”, escreveu. “Sinto que minha raça inteira foi desrespeitada também”, acrescentou a modelo.

Ela afirmou ainda que a situação demonstra que, em geral, as pessoas são muito ignorantes e têm mente fechada, por acharem que toda garota negra ou africana tem a mesma aparência. “Sinto que isso não teria acontecido com uma branca”, disse Adut Akech em um trecho do post.

Reproduçãp/Instant News.

A WHO Magazine se desculpou e afirmou que a foto errada foi enviada pela agência que organizou a entrevista. A jovem enfatizou que o objetivo não foi criticar a empresa em específico, mas uma forma de se expressar publicamente e pedir por mudanças significativas no mercado.

“Quero que seja um alerta para as pessoas que estão dentro da indústria de que isso não está certo e vocês precisam melhorar. Grandes veículos precisam checar os fatos antes de publicá-los”, completou a top model.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Metrópoles.
Foto destacada: Instagram/@adutakech

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.