O Conselho da Cidade de Oxford garantiu 124 quartos de moradias provisórias para o próximo ano, garantindo que as pessoas que estão abrigadas em hotéis e moradias estudantis duarante a pandemia não precisem voltar a viver nas ruas tão cedo.

O conselho anunciou na semana passada que chegou a um acordo com a A2Dominion, que fornece moradia estudantil, para alugar sua casa em Canterbury até julho de 2021. Também estendeu seu contrato atual no albergue da juventude administrado pela organização sem fins lucrativos YHA até o final de março de 2021.

Em março deste ano, o governo emitiu uma orientação ‘todos em casa’ para que os conselhos locais ingleses fornecessem moradias emergenciais para pessoas que vivem em situação de rua, a fim de impedir a propagação de coronavírus entre essas pessoas- e até o momento, não houve casos confirmados do vírus entre pessoas em situação de rua em Oxford.

O conselho tem trabalhado em estreita colaboração com o Ministério da Habitação, Comunidades e Governo Local para fornecer acomodações provisórias e solicitou financiamento da verba de 105 milhões de libras (mais de 1 bilhão de reias) revelado no mês passado.

“A pandemia nos deu uma oportunidade única de nos envolvermos com pessoas em acomodações de emergência. Para muitos deles, a certeza de uma cama segura dava o pouco de estabilidade necessário para começar a conversar sobre deixar as ruas definitivamente. Já ajudamos 76 pessoas a mudar para moradias mais sustentáveis, e isso é algo que queremos continuar fazendo”, disse o conselheiro Mike Rowley em comunicado em 30 de julho.

A Canterbury House e a YHA oferecem 76 e 42 quartos, respectivamente. Outras seis salas estão disponíveis em um quarteirão já alugado pela University College para pessoas que apresentam sintomas de coronavírus, que até agora não foram ecessárias.

A habitação provisória é uma ponte entre acordos de bloqueio de emergência e habitação mais sustentável. A aquisição da Canterbury House e a extensão do arrendamento da YHA significam que o conselho poderá manter acomodações para as pessoas alojadas durante a quarentena, já que os acordos existentes com hotéis e faculdades terminam este mês.

Também permitirá que o conselho forneça acomodações e apoio às pessoas que ficam desabrigadas nos próximos meses. Isso incluirá camas de inverno fornecidas em espaços compartilhados antes da pandemia.

Um total de 203 pessoas foram alojadas em hotéis e quartos de estudantes em Oxford nos últimos quatro meses. A consolidação da atual colcha de retalhos de quartos de hotéis e moradias estudantis em dois locais principais facilitará o fornecimento de suporte pessoal intensivo que ajudará ainda mais pessoas a deixarem as ruas.

“Acreditamos que ninguém deveria ter que dormir nas ruas em Oxford e gostaria de agradecer à Oxford Brookes University, A2Dominion, YHA, University College e St Mungo’s por nos ajudar a fornecer as acomodações provisórias que podem tornar nossa ambição uma realidade”, ad=crescentou Rowley.

O deputado Luke Hall, ministro da habitação, disse: “Agora temos uma oportunidade real de garantir que o maior número possível de pessoas não retorne à vida nas ruas. Em nível nacional, estamos entregando 6.000 casas seguras a longo prazo para ex-moradores de rua.”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Good News Network.
Foto destacada: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.