Elisabeth Anderson Sierra é uma americana que mora em Oregon, nos Estados Unidos, e tem a síndrome de hiperlactação, que a faz produzir cerca de 6,6 litros de leite por dia. O que fazer com tanto leite? Desperdiçá-lo? Claro que não! Este leite está sendo utilizado na alimentação de bebês carentes, seja por motivos naturais das mães ou em casos de catástrofes naturais em que o leite materno seja necessário para os mais pequenos.

Em entrevista ao jornal britânico Dailymail, Elisabeth disse ter percebido que produziu mais leite do que o normal na primeira gravidez, mas que foi na segunda gravidez que a quantidade aumentou consideravelmente. Sua filha Sophia, de 6 meses, consome em média 800 ml e a solução que encontrou para não desperdiçar esse leite foi doá-lo.

A americana diz que passa 5 horas por dia com a bomba de sucção nos seios, depois embala, etiqueta e coloca no freezer todo o leite coletado. Tudo isso consome em média 10 horas do seu dia e não vamos esquecer que ela ainda tem 2 filhas para criar. Ela afirma que nos últimos 3 anos não teve um dia de folga. Uma verdadeira heroína!

Ela doou metade de seu leite para mães que não podem amamentar porque estão tomando remédios ou tiveram câncer de mama. Ela também faz doações para casais homossexuais e o restante vai para um banco de leite localizado na Califórnia. No total, ela já doou mais de 2.600 litros de leite materno.

Quando questionada sobre como é fazer isso, ela responde da melhor maneira possível: “Sinto que estou fazendo a minha parte. Eu encorajaria outras mães a fazer o mesmo. O leite materno é ouro líquido, nunca deve ser desperdiçado.”

Se você quiser saber mais sobre esse maravilhoso trabalho de Elisabeth, assista ao vídeo abaixo.

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de Nation.
Fotos: Reprodução.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


Compartilhar

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.