No último sábado (4), uma passageira tetraplégica ficou sem assistência durante uma hora e meia em um avião no aeroporto de Gatwick, em Londres.

Em entrevista concedida ao DailyMail, Victoria Brignell relatou que estava voltando pela British Airways de um feriado em Malta, sua segunda viagem para o exterior, quando foi esquecida dentro do avião. Ao chegar a Londres, uma cadeira de rodas deveria estar preparada para que ela pudesse desembarcar. Ela conta que reservou o serviço três meses antes da viagem.

Duas semanas antes do feriado, Victoria novamente entrou em contato com a companhia aérea para lembrá-los sobre a necessidade da cadeira de rodas. No entanto, quando a aeronave chegou ao aeroporto, ninguém apareceu para buscá-la em sua poltrona.

“Pouco depois de pousar, a equipe da companhia aérea da British Airways veio até mim e disse que sentia muito, mas as pessoas que deveriam me ajudar a sair do avião não estariam lá por 50 minutos”, relatou Victoria.

“O tempo passou e me disseram que seria mais meia hora além disso. No final, eu estava esperando uma hora e 35 minutos.”, continuou.

Sonia Sodha, que é amiga de Victoria, resolveu denunciar o caso nas redes sociais. No Twitter, ela escreveu o seguinte: “Oi @Gatwick_Airport, minha amiga com deficiência, Victoria, foi deixada esperando em um avião que pousou há mais de uma hora. Isso é realmente inaceitável”. Junto da mensagem, Sonia postou uma imagem de Victoria sozinha no avião.

“Estou paralisada do pescoço para baixo, então não posso usar meus braços ou pernas”, explicou Victoria na entrevista para o Daily Mail. “Para sair de um avião, preciso de duas pessoas para me levantarem do assento e me colocarem em uma cadeira de corredor, que é especialmente projetada para me empurrar pelo corredor para fora do avião e me colocar na minha cadeira de rodas, que fica esperando do lado de fora.”

A denúncia feita pela amiga de Victoria alcançou uma grande repercussão. Diante disso, uma equipe da British Airways foi enviada até o avião, mesmo que tal assistência não fosse de sua responsabilidade. Com isso, a passageira finalmente foi retirada da aeronave. Ela diz que tem a intenção de prestar uma queixa oficial contra o aeroporto.

“Obrigada a todos que compartilharam. Victoria agora está fora do avião, 90 minutos depois do pouso, quando uma nova equipe veio para carregá-la para fora — a equipe de assistência nem apareceu”, narrou Sonia, no Twitter. “Este é um serviço terrível para pessoas com deficiência.”

***
Destaques Psicologias do Brasil, com informações de UOL.
Foto destacada: Reprodução/ @soniasodha.

RECOMENDAMOS






Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.