O professor de psicologia na Universidade de Santa Clara, na Califórnia (EUA), David B. Feldman, escreveu recentemente um artigo pra o site Psychology Today, discutindo, de maneira sensível e afetiva, a importância dos rituais no processo de cura após a perda de um ente querido.

Confira:

Quando minha mãe tinha apenas 18 anos, seu namorado de repente terminou com ela. Como acontece com a maioria de nós, ela experimentou uma mistura de choque e tristeza. Felizmente, seu irmão Richard, que havia passado por uma experiência semelhante, sabia exatamente o que fazer. Ele a pegou no seu veículo Firebird do final dos anos 1960 e a levou para um stand local da ‘A&W Rootbeer’ – marca de cerveja de raiz disponível principalmente nos Estados Unidos e no Canadá – , e lá se sentaram juntos, sem precisar dizer muito – apenas engoliram vários copos de cerveja.

Quando Richard faleceu recentemente, aos 65 anos, minha mãe também sabia exatamente o que fazer. Em silêncio, ela dirigiu-se ao estande local da A&W Rootbeer. Lá, ela pediu dois copos de cerveja e bebeu os dois.

Os rituais são uma maneira importante de as pessoas encontrarem significado quando perdem um ente querido. Todo mundo está familiarizado com os rituais. Talvez você os tenha realizado durante as férias, na igreja ou mesmo antes de uma partida de futebol. Você pode ter realizado rituais para reconhecer mudanças importantes na vida – formaturas, aposentadorias e até funerais. Mas, assim como a visita espontânea de minha mãe ao estande de cerveja, eles não precisam ser formais.

O poder dos rituais reside em seu simbolismo. Pense no ritual da graduação. Atravessar um palco e apertar a mão de alguém não é grande coisa como um ato em si. Andamos por todo o lugar e apertamos as mãos das pessoas o tempo todo. Mas esse ato assume um significado especial quando é realizado na graduação, simbolizando uma transição importante. Outro ritual simbólico envolve vinho. Embora beber vinho no jantar possa ser agradável, a mesma atividade assume um significado poderoso durante certos rituais religiosos.

O simbolismo nesses rituais pode nos encher de emoção, nos dar arrepios e pontuar os eventos importantes de nossas vidas. Pesquisas até mostram que alguns rituais facilitam a liberação de endorfinas pelo organismo, o que pode ajudar a reduzir a ansiedade e a dor física.

Mas poucas pessoas percebem o poder de criar seus próprios rituais. Um conhecido meu, Donald, tinha apenas trinta e oito anos quando foi diagnosticado com câncer de pulmão. Ele era um fotógrafo profissional, ganhando a maior parte da vida tirando fotografias em casamentos. No entanto, ele adorava tirar fotos em uma reserva natural próxima, onde poderia ser encontrado em seus dias de folga. Embora ele nunca tenha compartilhado essas fotos com ninguém, tirá-las foi um de seus grandes prazeres na vida. Assim, logo após a primeira hospitalização de Donald, seu pai decidiu visitar a reserva natural. Ele trouxe uma câmera antiga de 35 mm e tirou fotos que ele achava que seu filho iria gostar. Donald os amava, e um ritual foi estabelecido. Toda vez que ele entrava no hospital, seu pai visitava a reserva e mostrava as fotos. Para Donald, esse ritual foi significativo porque compartilhou seu grande amor pela natureza com seu pai. Para o pai, era significativo porque mantinha um pedaço do filho vivo e bem. Eventualmente, Donald faleceu. Até hoje, no entanto, seu pai visita a reserva quatro vezes por ano, uma vez a cada estação. Lá, ele fala com o filho, tira algumas fotos e não as mostra a ninguém.

Rituais são ações que simbolicamente nos conectam a algo significativo. Eles podem ser reconfortantes, expressar sentimentos, provocar uma sensação de encerramento ou manter viva uma parte importante do passado. Quando são realizados rituais para enfrentar uma perda, eles honram tanto a pessoa que está fazendo como a pessoa que perdeu. Embora a maioria das pessoas pense nos rituais como formais e até complexos, criar um ritual pessoal pode ser realmente simples. Aqui estão quatro perguntas para ajudar a desenvolver um ritual que será pessoalmente significativo para você:

Qual é o significado do seu ritual?

Um bom lugar para começar no desenvolvimento de um ritual é determinar o que você gostaria que ele significasse. Entre significados praticamente ilimitados, os rituais podem ser usados ​​para marcar uma mudança de vida, celebrar ou comemorar uma memória importante, realizar uma atividade para uma pessoa que não está mais presente ou nos conectar com entes queridos vivos ou falecidos. Para minha mãe, o significado de seu ritual era conectar-se ao irmão perdido e proporcionar conforto de uma maneira que estivesse ligada à história deles juntos.

Quando e onde o ritual ocorrerá?

Embora os rituais ocorram frequentemente em datas importantes, como aniversários, eles podem acontecer quando e onde parecer adequado. Você pode decidir fazê-los apenas uma vez ou repeti-los uma vez por ano ou várias vezes por ano. Embora igrejas, sinagogas, mesquitas e outros lugares religiosos ou espirituais sejam ambientes comuns, os rituais podem ocorrer em qualquer lugar. Considere quais configurações podem conectá-lo ao significado do seu ritual. Embora a maioria das pessoas não considere um restaurante A&W de carro um espaço “sagrado”, os rituais podem trazer significado a quase qualquer local.

Quem estará presente?

Os rituais podem envolver outras pessoas ou ser executados sozinhos. Considere se ter ou não outros presentes permitirá que você se conecte mais plenamente ao significado do seu ritual. Por exemplo, um ritual frequentemente usado em psicoterapia para ajudar a curar feridas emocionais é que os pacientes escrevam uma carta expressando seus sentimentos em relação a uma pessoa que os ofendeu. Desde que o malfeitor ainda esteja vivo e acessível, uma pergunta que freqüentemente surge é se a carta deve ser compartilhada com ele ou ela. Não há resposta certa ou errada para essa pergunta, é claro. O importante é que essa decisão reflita os objetivos do ritual. Às vezes, o ritual precisa envolver outra pessoa. Outras vezes, pode parecer mais significativo fazê-lo sozinho. Alguns pacientes que escrevem a carta mencionada, por exemplo, acham mais simbólico e curativo fazer algo como queimar a carta e espalhar as cinzas.

O que será feito?

Reflita sobre que tipos de ações ou atividades o conectarão mais com o significado do seu ritual. Isso pode exigir de segundos a horas, dependendo do que você achar que funciona melhor. Como mencionado anteriormente, no entanto, tente não ser pego na armadilha de pensar que os rituais são complicados ou demorados. Alguns são e outros não.

Para minha mãe, um ato que a maioria de nós faria sem pensar – desfrutando de uma cerveja – assumiu pungência por causa dos fatores mencionados acima. Rituais formais como funerais ou serviços comemorativos são importantes para muitas pessoas quando perdem um ente querido. Mas, às vezes, os rituais mais significativos são aqueles que são mais pessoais e personalizados apenas para você.

E um pouco de cerveja também não dói.

***
Texto traduzido por Destaques Psicologias do Brasil do original de David B. Feldman para Psychology Today.
Foto destacada: Reprodução/I Love Real State.

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


*O conteúdo do texto acima é de responsabilidade do autor e não necessariamente retrata a opinião da página e seus editores.


Compartilhar

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




DESTAQUES PSICOLOGIAS DO BRASIL
Uma seleção das notícias relacionadas ao universo da Psicologia e Comportamento Humano.